Bispo exorta finalistas do Ensino Superior a se colocarem também na escola de Deus 

Foto: Duarte Gomes

O bispo do Funchal presidiu no sábado, dia 29 de junho, na Sé do Funchal, a uma Eucaristia no decorrer da qual procedeu à bênção das fitas de muitos dos finalistas da Universidade da Madeira, Universidade Aberta e Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny.

Depois de uma cerimónia na Praça do Município, na parte da manhã, onde cada um dos 427 alunos recebeu o seu diploma, a tarde foi reservada à Eucaristia da bênção das fitas.

Nesta celebração, D. Nuno Brás vincou que todos temos vários saberes, desde os inatos aos que nos foram passados pela nossa família, passando por aqueles adquiridos na faculdade. 

Mas é preciso também estar atentos “ao conhecimento que vem de Deus”, de que nos falavam as leituras, e que podem “não dar dinheiro nem carreira”, mas “são essenciais por três razões”.

Primeiro porque o “conhecimento a partir de Deus mostra-nos quem somos”, segundo porque “é um conhecimento que nos perdoa e nos permite recomeçar do zero” e terceiro porque “é um conhecimento que nos chama a ir sempre, sempre mais longe, a termos um horizonte infinito”.

Daí o desafio feito aos finalistas para que cada um “se coloque na escola de Deus, à escuta daquilo que Deus tem para dizer a cada um” porque, de certeza, “vão escutar a frase: «És feliz, Simão, filho de Jonas, porque não foi nem a carne nem o sangue que te o revelou, mas o meu Pai que está nos céus”».

Daí o apelo para que “o Senhor nos ajude não só a desenvolver os saberes que já adquirimos, mas a caminhar no saber que só Ele nos pode ensinar”.

No início desta Eucaristia, concelebrada pelos sacerdotes Marcos Gonçalves, Giselo Andrade e Carlos Almada, da pastoral do Ensino Superior, e em que marcaram presença a vice-reitora da UMa, a Diretora da Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny, os Presidentes de Faculdades e Associações Académicas e ainda representantes de entidades civis, nomeadamente o presidente da Assembleia Legislativa e o secretário da Educação usou ainda da palavra uma estudante em representação do grupo.

Fê-lo para agradecer a Deus “a vida a alegria e a luz que, durante estes anos, de Vós recebemos”. Aos pais, professores, funcionários e amigos que Deus foi colocando nas suas vidas ao longo deste percurso académico.