Paróquia da Lombada: Bispo do Funchal presidiu à Eucaristia vespertina da Festa de São Pedro

Foto: Duarte Gomes

O bispo do Funchal presidiu esta sexta-feira, dia 28 de junho, à Eucaristia vespertina da Festa de São Pedro, na Paróquia da Lombada, em Santa Cruz.

Nesta missa, concelebrada pelo cónego Rui Pontes, administrador paroquial da Lombada, o prelado falou da relação entre Pedro e Jesus, aquele Jesus que ele tinha negado três vezes e agora vê ressuscitado e que o questiona sobre o seu amor.

Pedro começa por dar conta do seu amor a Jesus, amor esse que teve, por três vezes, de confirmar. Um caminho importante para Pedro, mas também para nós que muitas vezes, na nossa relação com Deus achamos que “somos nós a comandar, a achar como é que deve ser, como é que Deus se deve comportar connosco quando, de facto, aquilo que é importante é o contrário”.

“E sim, Deus pode mudar aquele que é o nosso pecado, aquilo que é a nossa fragilidade, aquilo que são as nossas fragilidades, em amor”, frisou o prelado.

Por isso, “aquilo que queremos, antes de mais nada, é dizer ao Senhor que somos como Pedro, que também nós muitas vezes o esquecemos, também nós muitas vezes o traímos, também nós muitas vezes negamos conhecê-Lo”. Mas também lhe “queremos pedir que transforme esse pecado em amor”.

E não tenhamos dúvidas, vincou D. Nuno Brás, que “a resposta de Jesus será sempre esta: apascenta as minhas ovelhas, isto é, cuida dos meus/teus irmãos”.

Depois de dar graças a Deus pela figura de São Pedro, o prelado exortou a assembleia a se entregar e confiar “nas mãos deste Senhor que é capaz de transformar o nosso pecado em amor” e que este Senhor “nos dê força e coragem para como Pedro dizer: Senhor tu sabes tudo, bem sabes que te amo e para receber dele esta responsabilidade de cuidar uns dos outros no caminho de cada um para Deus”.

Prelado acompanhou final da Romagem

D. Nuno Brás chegou a tempo de ver e acompanhar a parte final da tradicional romagem da Paróquia da Lombada, candidata a património imaterial cultural, que desceu da serra até ao mar.

Um momento de grande animação e devoção, ao qual a população local adere, desde longa data, com entusiasmo e criatividade, reunindo ao longo do percurso as oferendas que seriam leiloadas após a Eucaristia.

A romagem, que este ano contou com três dezenas de festeiros, partiu da Fonte dos Almocreves às 18 horas e duas horas e meia depois chegou ao destino, junto à capela de São Pedro, onde era aguardada por centenas de pessoas.

Um grupo de emigrantes, de Jersey, marcou presença na iniciativa havendo quem tenha vindo de propósito para participar na romagem, na qual tomou parte também o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz que apoia esta iniciativa da Paróquia da Lombada.

O percurso de quatro quilómetros foi acompanhado em direto pelo canal naminhaterra.tv, com diversos relatos sobre esta tradição que a população teima em preservar.