Explosão de Liberdade em Abril

Padre Aires Gameiro | Foto: Duarte Gomes

Nota: «No contexto da comemoração dos 50 anos do nosso 25 de abril, o artista Miguel Cardoso foi desafiado a fazer-nos olhar para a Liberdade por um ângulo novo: a liberdade religiosa. É maior o número de cristãos perseguidos hoje do que nos primeiros séculos do cristianismo. Em muitos lugares do planeta, é mais violenta hoje a perseguição aos cristãos do que foi em qualquer outro tempo. Há também histórias dessas nos tantos movimentos de migrantes e refugiados que cruzam terra e mar. É um outro ângulo para comemorarmos e repensarmos a Liberdade. Para que não seja mais um ângulo cego». (Texto do Museu Diocesano de Santarém).

Liberdade na subida 
(Poema de Aires Gameiro)          

Toma as contas e as necessidades:
Se somas mais necessidades na vida
Diminuis o tesouro de tuas liberdades
E aumentas o peso do corpo na subida.

Liberdade, tesouro de humanidade, 
Ferida já ao nascer, sem morrer,
Presente recebido em enfermidade
E Adão e Eva, Paulos e Agostinhos
Arriscam-se a deixá-la enfraquecer. 

Em abril muitos gritaram: liberdade,
Tudo e já aqui por direito de cidadãos
Queremos refazer toda a igualdade.
Mas onde, a dignidade de irmãos?

Liberdade só cresce com verdade,  
Mentira faz crescer a escravidão
Se te corrompes cais na falsidade
Se és avaro moras na ilusão,
Se o prazer te devora, ficas no chão.

Anarquistas querem sempre mais 
E roubam-na aos que já não têm
Fazem-nos seus escravos e serviçais:
A encher do alheio seu armazém.

Liberdade é caminho de vida
Através de deserto e espinhos,
A voar na dignidade da subida,
A dar pão e respeito aos pequeninos.

A liberdade não rima com pecado
Dá-se com fazer o bem em comunhão, 
Não a vês nos artigos do mercado, 
Vem da luz e sinfonia do coração.