Nomeação Equipa Diocesana Jubileu 2025

Logotipo do Jubileu 2025

Celebração do Jubileu 2025

No ano de 1300, um movimento popular espontâneo, de que ainda hoje não conhecemos a origem, dirigiu para a cidade de Roma um grande número de peregrinos que pediam ao Papa Bonifácio VIII a celebração dum Jubileu, quer dizer: de um ano de particular graça e misericórdia, assinalando, desse modo, os treze séculos do nascimento do Salvador. Foi o primeiro jubileu cristão. Fixado inicialmente para ser celebrado cada cem anos, o intervalo foi depois reduzido para cinquenta e para vinte e cinco anos (1475).

O jubileu cristão tem origem na antiga tradição hebraica da celebração de, em cada período de 50 anos, ser celebrado um tempo em que todo o universo procurava regressar à sua condição original (cf. Lev 25,8-13). Embora tal fosse impossível de realizar na sua totalidade, ao menos nesse ano cada crente procurava regressar a uma correta relação com Deus, com os irmãos e com a criação: implicava o perdão de dívidas, a libertação de escravos, o descanso das terras. A ele Jesus aludiu na sinagoga de Cafarnaúm, ao proclamar “um ano da graça do Senhor” (Lc 4,18-19; Is 61,1-2).

Na memória de muitos de nós estão ainda presentes as celebrações do Grande Jubileu do ano 2000. No entanto, em 2025, uma vez mais toda a Igreja se irá unir na celebração de um novo Jubileu, já anunciado pelo Papa Francisco, desta vez sob o lema “Peregrinos de esperança”. Assim, para coordenar os preparativos e as celebrações diocesanas do Jubileu de 2025, nomeio a seguinte Equipa Diocesana:

Cónego Rui Alberto Fernandes Pontes (Coordenador)

Padre Fernando Soares, CM

Padre José Patrício Pestana de Sousa 

Cláudio Dinarte Ferreira Góis 

Catarina Isabel Gouveia Nóbrega 

Duarte de Jesus Pacheco

Maria Dolores Ferreira Quintal

Élvio Paulo Santos Faria

Graça Maria Nóbrega Alves

Irmã Maria da Conceição Gomes Malho

Sandra Cristina Gama Sá

Funchal, 1 de Março de 2024

+ Nuno, Bispo do Funchal