“Ser Raízes da Alegria”: ACR promoveu Curso Nacional de Animadores

D.R.

“Ser Raízes da Alegria” foi o tema do Curso Nacional de Animadores (CNA), promovido pela Acção Católica Rural (ACR), que teve lugar na Casa Diocesana Nª Senhora do Socorro, Albergaria-a-Velha, nos dias 3 e 4 de fevereiro de 2024.

De acordo com nota enviada à nossa redação, o CNA, que “contou com 70 participantes, teve início com a oração da manhã, preparada pelo grupo do Funchal, e presidida pelo Assistente Nacional, Pe. Hélder Gonçalves”. De seguida a Presidente Nacional, Ângela Almeida, deu as boas-vindas aos participantes e referiu a ACR como um “movimento que promove a interioridade fecunda” e que devemos ser, conforme refere o Papa Francisco, “empreendedores de sonhos e projetos anunciadores de VIDA, de alegria aos outros, à comunidade, ao meio”.

Seguiu-se o momento de formação sobre dinâmicas de grupo. O tema foi “desenvolvido por Gastão Veloso,que promoveu a análise pelos grupos presentes e respetivo debate. As questões da relação e da ação levam a vários tipos de desenvolvimento dos grupos e define estratégias para o caminho em comunidade, capacitando o grupo para ultrapassar os obstáculos”. 

No centro de toda a atividade dos grupos deve existir sempre a Revisão de Vida, que define uma pedagogia onde o conceito de pessoa e de sociedade são analisados, trabalhados e devem levar, invariavelmente, à conversão.

Na parte da tarde “teve lugar uma tertúlia geracional que apresentou testemunhos de vivência e experiência individual de quatro Militantes (88, 71, 53 e 15 anos), no contexto da missão na Acção Católica (AC) e na aplicação do Método de Revisão de Vida: Ver, Julgar e Agir”. 

Sob a moderação do Pe. Hélder Gonçalves, “os testemunhos foram o mote para os trabalhos de grupo, sobre o tema “Defender uma Ecologia Humana – a Vida Humana não é descartável” (proposto no Caderno do Militante). Utilizando a Revisão de Vida, os quatro grupos analisaram e debateram os casos apresentados, o que constituiu oportunidade para o aprofundamento da metodologia por parte dos adultos e de iniciação por parte dos jovens presentes”, refere a nota.

Os trabalhos foram depois apresentados em plenário, já com a presença de D. António Moiteiro, Bispo de Aveiro, tendo sido notável o envolvimento individual de cada participante. A qualidade das reflexões e a riqueza dos testemunhos dos grupos sinaliza uma realidade: “temos futuro na ACR”.

No dia 4, após a Eucaristia, foi” tempo de “Ousar sonhar os sonhos de Deus”, dinâmica de reflexão apresentada por António José Constantino, que levou os participantes a encontrar caminhos para aprofundar a fé e de pôr em prática, no dia-a-dia, os ensinamentos da Palavra de Deus”. 

Que talentos eu tenho? Qual é o sonho de Deus para mim? São perguntas que deram origem à reflexão que se seguiu. “Ousar sonhar os sonhos de Deus é perceber o papel que cada um tem e usar os talentos para organizar um mundo melhor, influenciando e marcando a vida das pessoas, ter uma ação no mundo que seja inclusiva e transformadora”. 

Este CNA foi marcante pela entrega e motivação dos participantes, verdadeiras “raízes da alegria”!