Unção dos Enfermos

D.R.

Na Carta de S. Tiago, descobrimos os fundamentos do Sacramento da Unção dos Enfermos e o cuidado das primeiras comunidades cristãs para com os doentes. Na verdade, não se tratava apenas de um costume religioso, mas de um sacramento, pelo qual os presbíteros da Igreja, em nome do Senhor, concediam ao doente, salvação, alívio e o perdão dos pecados: “Algum de vós está doente? Chame os presbíteros da Igreja e que estes orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o aliviará; e, se tiver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5, 13-15).

O Concílio Vaticano II determinou uma reforma na celebração deste sacramento, a começar pelo próprio nome, preferindo chamá-lo de “Unção dos Enfermos” em vez de “Extrema Unção”. Na verdade, o sacramento já não era reservado para os que se encontravam em fim de vida, mas para todos os fiéis que por doença ou idade avançada, se encontravam “em perigo de morte” (SC 73). 

Na Carta Apostólica “Desiderio Desideravi” (2022), o Papa Francisco afirmou que a liturgia é o lugar de encontro com Cristo: “Na Eucaristia e em todos os sacramentos é-nos garantida a possibilidade de encontrar o Senhor Jesus e de ser alcançados pela potência da sua Páscoa”. Assim, Jesus “continua a perdoar-nos, a curar-nos, a salvar-nos com a potência dos seus sacramentos. É o modo concreto, pela via da encarnação, com que nos ama; é o modo com que sacia aquela sede de nós que declarou na Cruz”. 

Pela oração, a unção com óleo e o gesto da imposição das mãos, dá-se o encontro de Cristo com o enfermo. 

Diz-nos a nota introdutiva do Ritual da Unção dos Enfermos que “este sacramento confere ao doente a graça do Espírito Santo, pela qual o homem todo é ajudado em ordem à salvação, confirmado na confiança em Deus e fortalecido contra as tentações do inimigo e a ansiedade da morte”.

A fórmula para a Unção apresenta-nos este sacramento como sinal da misericórdia de Cristo Ressuscitado, para com aqueles que sofrem pela doença: “Por esta santa unção e pela sua infinita misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo, R. Amen. Para que, liberto dos teus pecados, Ele te salve e, na sua misericórdia, alivie os teus sofrimentos. R. Amen” (do Ritual).