62.º Aniversário: Eucaristia assinalou declaração de Nossa Senhora do Ar Padroeira da Força Aérea Portuguesa 

Foto: Duarte Gomes

D. Nuno Brás presidiu no domingo, 21 de janeiro, na Sé do Funchal a uma Eucaristia em honra de Nossa Senhora do Ar, que há 62 anos foi declarada padroeira dos aviadores portugueses e em particular da Força Aérea Portuguesa. A única no mundo que tem uma Santa Padroeira, por despacho do Papa S. João XXIII a 15 de janeiro de 1960. 

Na homilia, o prelado refletiu sobre as leituras, chamando a atenção da assembleia para a “importância de acreditarmos no Evangelho”, e para a importância de anunciar o arrependimento. 

“Deus convida-nos a organizar a nossa vida a partir deste ponto fulcral que é Jesus Cristo”, disse o prelado, para logo acrescentar que “a partir de Jesus, este ponto fundamental e central, somos convidados a organizar e a viver a nossa vida”.

Nesta celebração, que contou com a presença de militares da Força Aérea que prestam serviço no arquipélago, bem como com a presença do representante da República e do secretário da Saúde, em representação do Governo, o prelado disse ser “preciso ousadia”, para fazer estas mudanças.

Sobretudo, vincou, porque “estamos habituados a viver com os critérios do mundo, com outros critérios que não os de Deus”.

“É necessário ousadia grande para dizermos, hoje é o tempo da realização, hoje Deus que está próximo passa por mim e convida-me a mudar os meus critérios de vida, convida-me a rever o modo como eu olho para os outros, convida-me a rever as minhas prioridades e os objetivos da minha existência”, concluiu.