Bispo do Funchal desafiou jovens a terem o coração disponível para Deus

Foto: Duarte Gomes

Cerca de 100 jovens assinalaram no domingo, dia 28 de novembro, o Dia Mundial da Juventude, com uma Jornada Diocesana cujo lema era “Diocese em Movimento”.

Para marcar o arranque da passagem por várias paróquias, onde se realizaram diversas actividades, foi celebrada uma Eucaristia, presidida por D. Nuno Brás, no Santuário de Fátima do Cabo Girão.

Na homilia, o prelado desafiou os jovens a deixarem de viver “como egoístas” e passarem a viver com Deus, porque isso muda por completo a nossa vida.

“As leituras de hoje convidam-nos a passar de uma vida centrada em nós, para uma vida centrada em Deus e a nos darmos conta que Deus anda à nossa procura, à tua procura, mais que tu à procura  Dele” e para que este encontro aconteça, só basta que haja “disponibilidade” da nossa parte.

Uma disponibilidade que deve acontecer “em cada momento da tua vida” e, por isso mesmo, tal como Deus, o bispo diocesano também pediu aos jovens que participavam na Eucaristia que “tenham, ao longo deste dia, um coração disponível para Ele, para o que Ele quiser, para fazer a Sua vontade, para aprender o que é isto de viver com Ele sempre em cada momento”.

Num momento de silêncio, D. Nuno Brás propôs aos jovens presentes que dissessem ao Senhor “eu aqui estou, estou para fazer a Tua vontade, estou para Te escutar e para ter o coração disponível para o que Tu quiseres fazer de mim e comigo”.

De referir que os jovens subiram ao santuário pela escadaria que lhe dá acesso e foram colocar a sua vela no lugar próprio para o efeito.

No início da celebração o bispo diocesano fez ainda questão de deixar alguns agradecimentos, o primeiro foi para “a equipa do COD e a equipa que até agora esteve com a Pastoral Juvenil, de uma forma particular o Pe. Carlos Almada” e também “à nova equipa do Secretariado Diocesano, agora coordenada por João Francisco (kiko) e tendo como assistente o Padre João Diogo Gonçalves que, certamente, vai continuar a apontar para mais alto, mais próximo de Nosso Senhor”. 

Agradeceu-se ainda pelo dom da vida do seminarista Igor, e pediu-se para que “este caminho vocacional que ele começou se possa concluir como e quando o Senhor quiser”. E, finalmente, rezou-se pelos presentes, mas também pelos “muitos mais” que foram à JMJ e que não estiveram presentes neste momento.