Símbolos da JMJ: Uma semana na Madeira sem multidões mas a cumprir a sua função

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) estão na Diocese do Funchal, nova etapa da sua peregrinação em território português, onde foram recebidos com entusiasmo entre as populações jovens, rumo ao encontro de Lisboa, em agosto de 2023.

A cruz e o ícone de Nossa Senhora chegaram à diocese a 6 de maio e, desde então, passaram pelos Arciprestados de Santa Cruz e Machico, de Santana, São Vicente e Porto Moniz, estando atualmente no Funchal.

O padre Carlos Almada destaca a congregação que os símbolos provocam, mesmo sem grandes multidões, quando o grupo “sem vergonha, monta os símbolos” e com naturalidade “se vão juntando”.

O assistente espiritual do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil e do Departamento do Ensino Superior e da Pastoral Universitária, em declarações à Ecclésia, sublinha a “graça” de a visita dos símbolos coincidir com “o 12 e 13 de maio”, data que quiseram marcar com a deslocação dos símbolos ao santuário de Nossa Senhora de Fátima, no Cabo Girão.

O sacerdote dá ainda conta da intenção de levar a cruz e o ícone de Nossa Senhora ao Pico Ruivo, o ponto mais alto da ilha da Madeira, e destaca a continuação da peregrinação na ilha do Porto Santo, nos dias 21 e 22, onde estarão “na melhor praia da Europa”.

Veja a primeira semana dos Símbolos da JMJ 2023 à Diocese o Funchal.