Seixal assinala festa do seu padroeiro

Foto: Sílvio Mendes

A festa de Santo Antão, padroeiro do Seixal vai ser celebrada no domingo 23 de janeiro principiando a missa às 16 horas seguindo-se a procissão.

A Eucaristia da véspera desta festa principiará às 20 horas do sábado, 22 de janeiro.

Santo Antão nasceu no Egito cerca do ano 250, numa rica família rural. Quando perdeu os pais, o jovem de 20 anos dividiu os seus bens com os pobres e retirou-se para o deserto para uma vida penitencial como eremita e usava apenas o que precisava, doando qualquer excedente aos necessitados.

A certa altura, ele começou a organizar comunidades de oração e trabalho, mas acabou por regressar ao deserto, numa espécie de harmonização entre a vida solitária e, ao mesmo tempo, a direção de um grupo de eremitas que viviam nas proximidades. Foi a partir de grupos de eremitas que Santo Antão se tornou um dos pioneiros do monaquismo cristão – e é daí que lhe vem o outro nome pelo qual é conhecido: Santo António Abade.

Orava constantemente, pois aprendera que devemos orar em privado sem cessar. Era tão atento à leitura da Sagrada Escritura que nada lhe escapava: tudo retinha e, assim, sua memória lhe fazia as vezes de livros. Todos os aldeões e monges com quem convivia viram que tipo de homem ele era e o chamavam de ‘amigo de Deus’, amando-o como filho ou como irmão.

Santo Antão faleceu no monte Colzim, perto do Mar Vermelho, por volta do ano 356.

Celebrado em diversas paróquias da Madeira além de ser o padroeiro do Seixal é um dos dois oragos do Caniço. A sua festa litúrgica é assinalada no dia 17 de janeiro.