Pastoral da Cultura homenageia Lourdes Castro

Artista plástica madeirense, falecida aos 91 anos de idade, recebeu em 2015 o «Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes»

D.R.

“Partiu Lourdes Castro para a vida eterna, após longa e representativa carreira como artista plástica que, com ancoragem na década de 60, alcança progressiva notoriedade em Portugal e no estrangeiro, até ser reconhecida como figura cimeira pelos seus pares e pelos melhores estudiosos e críticos das artes visuais”, escreve José Carlos Seabra Pereira, num texto divulgado na página online do SNPC.

A artista recebeu em 2015 o ‘Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes’, deste organismo da Igreja Católica em Portugal.

“Dando importante contributo, com valor de experiência, à reformulação de linguagens plásticas que se tinham esgotado ou convencionalizado numa visão redutora de formas previsíveis, desde cedo Lourdes Castro construiu uma obra coesa e dinâmica, que não se deixa aprisionar em códigos de género e que através da inquirição do valor plástico da sombra discorre sobre relações entre existência e ausência e assume a manifestação da presença como um rasto do visível”, realça o diretor do SNPC.

José Carlos Seabra Pereira aponta ao “mais profundo horizonte de receção que a obra de Lourdes Castro exige”, envolvendo “a imanência do mundo criado e a Transcendência que lhe dá sentido último”.

“A sua obra torna-se um rito de elogio do vivo e de louvor do dom da vida, que nos propõe comungar tanto numa manifestação simples e rigorosa da alegria, quanto no crescimento do amor para a eternidade. Como evidenciam várias das suas mais significativas criações e algumas imperecíveis experiências de irradiação espiritual na receção da sua obra – veja-se, por exemplo, o grande painel na parede por trás do altar da Capela do Rato”, escreve.

Também a Diocese do Funchal manifestou a sua tristeza perante a notícia do falecimento da artista plástica madeirense, agradecendo a Deus “o dom da sua vida e do seu carisma criador de arte, liberdade e beleza tão reconhecidos nacionalmente e internacionalmente”.

“Ao mesmo tempo que reza por ela, convida à oração pelos seus familiares e envia uma palavra de esperança e de conforto para todos. Que toda a arte seja veículo de beleza e de esperança para os corações”, refere uma nota divulgada online.

O presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa manifestou o seu pesar pelo falecimento de Lourdes Castro, “uma das mais inconfundíveis artistas portuguesas”.

A artista plástica nasceu a 9 de dezembro de 1930, no Funchal; estudou na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, viveu em Munique, Berlim e Paris e, em 1958, fundou a revista KWY.

OC