Missa na Nazaré: D. Nuno lembra que verdadeiro amor é o modo como Deus cuida de nós

Foto: Duarte Gomes

Antes do encontro com os adultos que vão ser batizados no próximo domingo, na Paróquia da Nazaré, D. Nuno Brás presidiu esta quinta-feira, dia 6 de janeiro, à celebração da Eucaristia.

Em dia da Epifania do Senhor, Dia de Reis, o prelado falou da “relação de amor que Deus tem connosco”, explicando que “o amor é precisamente o modo como Ele se relaciona connosco”.

Por isso mesmo, prosseguiu, “deixemos de chamar amor àquilo que não é amor, àquilo que é intenção nossa, àquilo que é um suponhamos nosso, àquilo que são as paixões”, porque o verdadeiro amor é o modo como Deus olha para nós, o modo como cuida de nós o modo como Deus nos salva”.

E a maior expressão desse amor, contextualizou o prelado, encontra-se na Cruz de Cristo. É aí que se “encontra o amor no seu estado mais intenso, no seu estado maior, na sua manifestação maior”.

Referindo-se às leituras, nomeadamente à primeira, D. Nuno lembrou que São João nos dizia precisamente que “devemos amar a Deus, porque Deus nos amou primeiro” e que “quem não ama, verdadeiramente, o próximo não pode amar a Deus”.

Lembrou ainda que é “preciso nos esquecermos de nós próprios”, seja quando se trata de amar a Deus ou ao próximo, para que o amor seja verdadeiro. De resto, foi isso que Deus fez no presépio, “quando se esquece de si próprio e se torna tão pequenino como uma criança”.

“É aqui que se encontra o segredo da nossa vida de seres humanos, porque verdadeiramente, olhando para o amor de Deus que se mostra no presépio, nós aprendemos a viver como seres humanos”, constatou.

A terminar a sua reflexão, o prelado pediu à assembleia que, num momento de silêncio, “agradeçamos a Deus ter-nos ensinado a amar, agradeçamos a Deus que nasceu como homem e nos ensinou a amá-Lo e peçamos-lhe que também nós sejamos capazes verdadeiramente de aprender. O mesmo é dizer, de transformar o nosso coração como Ele nos pede e de como Ele nos dá forças para o fazermos”.