Neste Natal, a Fundação AIS quer dar roupa quente a 30 mil crianças sírias

Foto: AIS

 

A prenda mais desejada

Não são brinquedos, nem guloseimas, nem telemóveis ou jogos de vídeo. São apenas calças e camisolas que fazem falta para os dias muito frios do Inverno na Síria. A Fundação AIS lançou este ano uma formidável Operação de Natal. O objectivo é simples: dar roupa quente a 30 mil crianças sírias. A prenda mais desejada custa apenas 11 euros…

O tempo de Natal permite perceber como o mundo está tão dividido entre países ricos e países pobres, entre populações que vivem com muito e pessoas que sobrevivem com menos do que a própria dignidade humana impõe. Um desses países, a Síria, atravessa tempos muito duros, com uma crise económica brutal, racionamento de bens essenciais e a falta desesperada todos os dias de coisas tão básicas como comida ou medicamentos. A crise neste país é tão profunda que cerca de 90 por cento da população está já a viver abaixo do limiar da pobreza e há relatos de famílias que sobrevivem apenas a pão e água.  A Síria é um país que está no centro das preocupações da Fundação AIS. Sinal disso, neste Natal foi lançada, a nível global, uma campanha muito simples, mas muito especial: fazer chegar roupa quente a trinta mil crianças. São calças de ganga e camisolas. Da Síria, as crianças pedem-nos apenas aquilo que lhes faz falta: roupa quente para conseguirem sobreviver aos rigores do Inverno.

Está nas nossas mãos… 

É isso que lhes queremos dar com a ajuda preciosa da irmã Annie Demerjian, da Congregação de Jesus e Maria. Esta campanha, na sua simplicidade, diz muito sobre o trabalho, o compromisso da Fundação AIS junto das comunidades cristãs mais vulneráveis em todo o mundo. Se os cristãos da Síria estão nesse grupo, que dizer das crianças… Neste Natal, todos nós temos um poder enorme nas nossas mãos. O poder de ajudar a tornar menos frio, menos cinzento, menos triste o Inverno de trinta mil crianças cristãs da Síria. Ajudar cada uma destas crianças custa apenas 11 euros. Está nas nossas mãos oferecer-lhes o presente de Natal mais desejado. Não são brinquedos, nem guloseimas. Não são telemóveis, nem jogos de vídeo. São apenas calças e camisolas que fazem falta para os dias muito frios do Inverno na Síria. Está nas nossas mãos fazer com que trinta mil crianças sírias passem um Inverno um pouco menos rigoroso. Custa apenas 11 euros.

Paulo Aido