D. Nuno Brás anuncia Missas do Parto sem convívios e recomenda vacinação

Foto: Duarte Gomes

Na sequência de uma reunião do Conselho Presbiteral, que teve lugar na manhã desta quarta-feira, dia 24 de novembro, D. Nuno Brás anunciou algumas medidas relacionadas com o Natal e muito particularmente com os convívios após Missas do Parto.

Apesar do aumento dos casos de Covid-19 que se tem verificado, o prelado fez questão de começar por sublinhar que “as nossas igrejas são e sempre foram lugares seguros durante a pandemia”, continuando a ser “obrigatório o uso de máscara e do álcool gel”.

O prelado aproveitou ainda para “recomendar a todos aqueles que participam nas celebrações que estejam vacinados e com a testagem semanal”.

Quanto às Missas do Parto o bispo do Funchal informou que “as paróquias não irão promover os convívios”. As Missas do Parto, acrescentou, “continuarão a ter lugar como habitualmente, com todas as regras sanitárias, mas as paróquias não irão promover os convívios, como medida de segurança”.

Da mesma forma, frisou, “as paróquias não irão promover as romagens das missas da meia noite no Natal”.

Depois das recomendações emanadas pelas autoridades de saúde, e sempre em diálogo com as mesmas, o Conselho Presbiteral decidiu tomar estas medidas, com D. Nuno Brás a referir que “a grande maioria dos sacerdotes já se inclinavam para esta decisão” que, disse, “ainda não tinha sido tornada pública porque havia sempre a possibilidade de os números baixarem radicalmente”.  Como isso não aconteceu, “foi este o caminho que é indicado e que é prescrito a todos”. 

Quanto à lotação das igrejas, essa mantém-se inalterada.