Bispo crisma jovens e alerta-os para a necessidade de servir Deus

Foto: Duarte Gomes

As comunidades paroquiais da Ribeira de Machico e da Assomada receberam, nos passados dias 18 e 19 de setembro, a visita de D. Nuno Brás, que ali foi crismar 17 jovens e outros 53, respetivamente.

Na homilia da Eucaristia na Ribeira de Machico, D. Nuno Brás lembrou aos crismandos que todos temos o hábito de nos acharmos os maiores e de nos gostarmos de comparar com os outros, nomeadamente com os que têm poder e dinheiro. Porém, o que Jesus nos ensina é precisamente o contrário, a começar por Ele próprio que sempre disse aos discípulos que “veio para servir, para se entregar pela salvação de todos, na cruz, que era a morte pior”.

Foi para esta necessidade de servir que o prelado alertou os jovens de ambas as paróquias. Recorrendo ao Evangelho, segundo o qual Jesus se identificou com uma criança, que naquele tempo não tinha direitos nenhuns, D. Nuno Brás explicou aos jovens que o maior, é aquele que se faz servo de todos. De resto, só há lugar na comunidade cristã para quem escuta os desafios de Deus e aceita fazer da vida um serviço aos irmãos, particularmente aos humildes, aos pequenos, aos pobres.

E há várias maneiras de servir, lembrou o prelado, desde ser catequista, fazer parte do grupo coral ou ser pai e mãe de família, sendo que “as famílias cristãs não educam os seus filhos como toda a gente, mas educa os seus filhos na fé”.

Para cada um perceber qual destes caminhos deve seguir, explicou D. Nuno Brás, é preciso estarmos “disponíveis para o escutar”, disponíveis para “perceber a sua vontade e para cumprir a vontade de Deus”, independentemente daqueles que são os nossos desejos e interesses.

“Jesus Cristo propõe-nos uma vida nova, verdadeiramente nova, uma vida verdadeiramente diferente e nós precisamos de ser discípulos de Jesus e de aprender a viver de forma diferente”, disse o prelado na homilia da Eucaristia na Assomada. Para isso, lembrou, os crismandos contam com a força do Espírito Santo.

Em cada uma das paróquias coube aos respetivos párocos, Pe. Alberto Vicente e António Paulo, apresentar os grupos de crismandos e agradecer a presença do prelado.