Um autêntico Abismo!

D.R.

Na semana passada, o Tribunal Constitucional chumbou a autodeterminação da identidade de género. Os principais media, ao serviço de interesses que não o de uma informação isenta, nada informaram sobre o assunto. A única excepção que eu conheço foi o jornal “O Observador” que, por coincidência ou não, foi dos poucos jornais que abdicou há um ano, de receber qualquer dinheiro do Estado para fazer face aos prejuízos provenientes da pandemia. Grande jornal, os meus parabéns! Não é fácil tomar uma decisão destas. Não obstante esta gravidade, de o governo inconstitucionalmente estar a fazer autêntica “lavagem ao cérebro” aos nossos jovens, a escola onde aprendem os alunos do casal Guimarães tem o atrevimento de chumbar os ditos alunos porque os seus pais querem a constituição cumprida!

Agora pergunto: Onde está o Professor Miranda e outros constitucionalistas que gostam tanto de aparecer nos “holofotes” dos media? E aqueles que são os promotores dessa mesma Constituição? Tanto silêncio! Que vergonha! É isto que o país vai comemorar, esta falta de liberdade, gastando milhões de euros pagos com os nossos impostos? Nós podemos ir às urnas, mas não tenhamos dúvida de que estamos a viver numa ditadura onde somos orientados para um pensamento único. E podemos infelizmente constatar, que aqueles como este casal, que lutam pelo direito à liberdade de pensamento, são crucificados sem qualquer despudor. 

Muita bem fez o governo húngaro que não coloca no currículo a “Igualdade de Género” porque, ao contrário daquilo que querem passar os nossos meios de comunicação social, não se trata de estar contra nada, mas sim, não se imiscuir em assuntos que dizem respeito à educação dada pela Família enquanto tal. À Escola compete, já o escrevi anteriormente, dar conhecimentos científicos, impossíveis de serem dados pelos pais, ora a igualdade de género nada tem de científico é apenas uma ideologia. A Escola ainda colabora com o aperfeiçoamento do processo de socialização.

O que se passa nas Escolas portuguesas em matéria de Educação Sexual é uma vergonha! O contexto do Amor e da doação ao outro é completamente esquecido, desvirtuando por completo qual o papel do sexo e podemos pensar que o Estado atual pode estar a contribuir definitivamente, mesmo sem ser esse o seu objetivo, acredito que não, para um aumento de pornografia.

Podem decretar tudo o que quiserem, mudar a Constituição, muito típico das ditaduras: quando não interessa altera-se, mas a menina continua a ser do sexo feminino capaz de gerar vida no seu seio e o menino continua a ser menino, fundamental na criação de novos seres humanos, mas nunca serão gerados dentro de si. A felicidade de cada um de nós está em descobrir o papel que nos cabe neste momento da História e seremos tanto ou mais felizes na medida que o logramos. 

Será que a maioria dos leitores tem a noção do que é estar a falar destes assuntos a crianças/adolescentes de 10,11, 12, etc…? Esta é a geração que nos vai governar (ou desgovernar ainda mais…) dentro de alguns, poucos, anos quando nós estivermos completamente nas suas mãos!  Geração que aprendeu que o importante é o prazer, custe o que custar. Mas depois também é confrontada com uma situação pandémica que lhe tira a liberdade! Obrigando – a isolar-se e a “mascarar-se”. Imaginam como estão a desenvolver-se estes jovens?

Por isso termino em dar os meus parabéns a este casal e tenho pena que muitos outros não lhes sigam o exemplo porque realmente estamos em face de uma perseguição pública e uma tentativa de destruição da antropologia, da verdadeira natureza humana.

Maria Guimarães – Professora