Dia da Região: Centro Social e Paroquial de Santo António distinguido com insígnia autonómica 

D.R.

O Centro Social e Paroquial de Santo António no Funchal recebeu esta quinta-feira, Dia da Região e das Comunidades Madeirenses, a insígnia autonómica de Bons Serviços.

Em declarações à Agência ECCLESIA o cónego Carlos Nunes, presidente da Direção deste centro, disse que este galardão atribuído pelo Governo Regional representa “um reconhecimento pelo trabalho de assistência e cuidado às pessoas com maiores necessidades”, mas ao mesmo tempo a instituição “fica com mais responsabilidade para melhor servir”.

O Centro Social e Paroquial de Santo António tem várias valências e a terceira idade “ocupa a maior parte do serviço”, visto que tem um centro de dia com capacidade para mais de 50 utentes, o apoio domiciliário, e uma residência para idosos.

A instituição também auxilia “mulheres vítimas de violência doméstica”, sublinhou o entrevistado.

Os mais novos também recebem apoio do centro através “da residência de autonomização, com residências de transição”.

Jovens que estiveram institucionalizados em várias locais e naquela residência “aprendem a ficar autónomos para a vida”, acrescentou o cónego Carlos Nunes.

No ‘Espaço Família’, o Centro Social e Paroquial de Santo António ajuda as famílias em “situações complicadas e de conflito”.

A instituição está atenta ao lado social, mas sempre com “a matriz caritativa”, realça o presidente da Direção.

Perante a pandemia, na instituição a “maior parte das valências continuou a funcionar” e o que ficou mais limitado foi o centro de dia para idosos, que esteve vários meses fechado.

“Muitos idosos já não regressaram, alguns acabaram por morrer e outros ficaram dependentes”, sublinhou o cónego Carlos Nunes.

O presidente da Direção do Centro Social e Paroquial de Santo António realça que existe colaboração e cooperação neste setor entre as entidades governamentais e a Igreja.

Os apoios, através dos acordos de cooperação, com a Segurança Social são “fundamentais” para as instituições.

Nos termos do artigo 6.º do Decreto Legislativo Regional n.º 21/2003/M, a Insígnia autonómica de bons serviços serve para “distinguir ato ou serviços meritórios praticados por cidadãos portugueses ou estrangeiros no exercício de quaisquer funções públicas ou privadas”.

Para além do Centro Social e Paroquial de Santo António, foram também distinguidas neste dia outras personalidades e instituições a saber:

Maurício Melim, delegado de saúde do Funchal, recebeu a insígnia autonómica de valor, modalidade de cordão; o professor catedrático Mikhail Benilov (ausente) foi homenageado com a Insígnia Autonómica de Distinção, modalidade de medalha; a enfermeira Ana Maria Alves Gouveia, a insígnia autonómica de bons serviços, modalidade de cordão; o engenheiro Agostinho Franco, insígnia autonómica de bons serviços, modalidade de medalha; a informática Carla Carvalho, insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha; Ludivina Freitas, insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha, o Corpo de Polícia Florestal de Região Autónoma da Madeira; o empresário Anacleto de Freitas, insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha; o agente de viagens Luís Guilherme de Sousa, a insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha; o empresário Vasco de Ornelas, a insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha, e o arquivista Fernando Andrade, a insígnia autonómica de bons serviços, na modalidade de medalha.