Vicentino que é modelo para a juventude

D.R.

No próximo dia 4 de julho celebra-se a memória litúrgica do bem-aventurado Pedro Jorge Frassati, que fez parte da Sociedade de São Vicente de Paulo e que foi reconhecido pelo Papa João Paulo II, como modelo para a juventude que ama Jesus e os pobres.

Assim o Conselho Geral Internacional da Sociedade de São Vicente de Paulo, instituiu nesta data, a nível mundial, a celebração do Dia Internacional do Jovem Vicentino. A proposta é de que seja comemorado com oração, confraternização, atividade de recrutamento, entre outras.

Orlando Mendes, Vice Presidente para os jovens da Sociedade S. Vicente de Paulo – Portugal,  apela aos vicentinos que «colaborem com os nossos jovens. Para isso propomos que as coletas das reuniões realizadas na semana de 1 a 7 de julho ou durante o mês de julho revertam para as atividades a desenvolver pelos jovens vicentinos de Portugal, através da Comissão Nacional dos Jovens. As coletas podem ser enviadas por transferência bancária através do: NIB 0010 0000 3803132 0001 30 (enviar comprovativo ao Conselho Superior) ou por cheque devidamente preenchido à ordem de: Associação – SSVP – Sociedade S. Vicente de Paulo – Portugal.

Pedro Jorge Frassati nasceu emTurim, Itália, no ia  6 de abril de 1901, numa família da burguesia. Foi educado de maneira severa por seus pais e desde pequeno mostrou-se bondoso com os pobres. Em 1918  o seu pai é nomeado embaixador da Itália na Alemanha. Nesta época, ele queria ser padre, mas a sua mãe, tendo outras ambições, não permite. Pedro Jorge viveu a sua fé  perante a indiferença geral da sua família. Entrou na Escola Politécnica de Turim a fim de tornar-se engenheiro de minas e poder caminhar ao lado dos operários.

Em 1918, entrou para as Conferências de São Vicente de Paulo, fundadas por Frederico Ozanam. Após uma conversa com Karl Rahner, ele desiste do sacerdócio: “Quero poder ajudar, por todos os meios possíveis, as pessoas do meu país e farei isso melhor conservando meu estado laico do que me tornando padre. Um engenheiro de minas, dando bom exemplo, pode ter uma ação mais eficaz”. Pedro Jorge criou com os seus amigos a “Companhia de Pessoas Esquisitas”, um grupo de amigos da juventude rica, que parte sempre em excursão para as montanhas.

No ano de 1925, aos 24 anos, deixou todas as suas atividades, exceto as Conferências de São Vicente de Paulo.

Em 29 de junho de 1925 contraiu a poliomielite durante uma das suas visitas aos necessitados. Em 3 de julho, é dado o diagnóstico: poliomielite em estado avançado. Sendo sexta-feira, dia das suas visitas aos pobres, Pedro Jorge pediu à sua irmã para entregar um bilhete que escreveu com muita dificuldade em que pede que o substituam junto dos pobres que deveria visitar.

Faleceu a 4 de julho de 1925. Somente após a sua morte, a sua família toma conhecimento das suas ações de caridade; mesmo os seus amigos, fora do círculo das Conferências, não estavam a par da importante atividade realizada junto aos pobres. Durante as suas exéquias, milhares de pessoas, entre as quais muitos pobres de Turim, acompanham o trajeto até a igreja.

Em 1983, durante a criação das Jornadas Mundiais da Juventude, o Papa João Paulo II citou Pedro Jorge Frassati como modelo de santidade para a juventude.