Dia Europeu da Música, 21 de Junho: Parabéns ao músico!

D.R.

Hoje celebramos a música…e o músico! E quem o músico? O que faz e como o faz? Porquê e para quê? O que pensa deste ofício que o apaixona? Quais os desafios no seu Caminho?

Ler o Caminho – um livro tão conhecido e amado – é descobrir e compreender os desafios na nossa vida. Porque cada Ponto do Caminho é para ser lido como escrito justamente para cada um, para cada ocasião, perfeitamente adaptado ao seu próprio percurso. Por isso, são tantas as leituras quantas as pessoas nas suas circunstâncias: na profissão, na sociedade.

Como? Eis o Ponto 832: «Que preocupação há no mundo por mudar de lugar! – Que aconteceria se cada osso, se cada músculo do corpo humano quisesse ocupar um posto diferente do que lhe compete? Não é outra a razão do mal-estar do mundo. Persevera no teu lugar, meu filho; daí, quanto não poderás trabalhar pelo reinado efetivo de Nosso Senhor!»

Confrangedor! Mudar de lugar? Que preocupação singular – dirá o músico: Sim, que aconteceria se ele mudasse do lugar que lhe corresponde, ou trocasse o lugar das notas – talvez por distração ou falta de estudo – ou modificasse a altura do som, um pouco mais agudo ou mais grave – por falta de atenção ao conjunto – ou alterasse o tempo nas passagens difíceis, ou tocasse mais forte – para sobressair – ou mais piano – para se ouvir menos? Que catástrofe, se nascesse nele o desejo de mudar de lugar, ou mudar o justo lugar de cada elemento na partitura! 

«Persevera no teu lugar, meu filho; daí, quanto não poderás trabalhar pelo reinado efetivo de Nosso Senhor!»: a perseverança no lugar certo é virtude essencial para o trabalho de um músico tal como o é para a vida de cada pessoa. Perseverar, quando estuda procurando a melhor posição do corpo para fazer nascer o melhor som, o mais limpo, o mais belo, tão perfeito quanto possível. Perseverar, no conjunto afinando entre todos a altura do som, o tempo, a intensidade cuidando a harmonia, dando relevo a cada voz no momento que lhe compete. 

Perseverar, também, no seu lugar – o maestro ou o produtor musical – quando cabe dirigir. Para preparar um espetáculo ou realizar uma gravação, é necessário repetir uma e outra vez, um ou outro ponto, ou gravar mais um, ou dois, ou três takes. É preciso determinação para detectar as falhas, apontar os erros, os pontos que podem melhorar, há que exigir, encorajar. E, antes de tudo o mais, é preciso sensibilidade para reconhecer o que está bem feito, o que é belo e inspirado; ter confiança e dar espaço a que os músicos possam apresentar uma nova idéia e se funcionar, integrá-la na obra; e elogiar, tirando de cada um e do conjunto o melhor de si mesmos.

Perseverar, cada um no seu lugar. Só assim a obra final – a nossa vida – se converterá em trabalho digno do «reinado efetivo de Nosso Senhor!»

Rosa Ventura
Professora de Música