D. Nuno crismou jovens das Preces pedindo-lhes que tenham os olhos da fé abertos para reconhecer Deus 

Foto: Duarte Gomes

O bispo do Funchal visitou no sábado, dia 19 de junho, as comunidades paroquiais das Preces e do Piquinho, cujo pároco é o Pe. António Ramos, onde crismou 73 jovens.

Na celebração das Preces, aquela onde o Jornal da Madeira marcou presença, o prelado alertou os jovens para o facto de Deus vir ao nosso encontro nos sítios onde menos esperamos e para a necessidade de estarmos atentos para o reconhecer e preparados para esse encontro.

“Deus não veio ao encontro dos discípulos no templo, num santuário, mas no lugar onde eles trabalhavam, no barco”, lembrou D. Nuno, para logo acrescentar que “Deus vem ao nosso encontro sempre e onde quer que nós estejamos”.

No caso concreto dos jovens que iam ser crismados o barco, explicou, é a casa, a escola, o local onde praticam desporto, mas também a igreja onde muitas vezes somos nós que “vamos ao encontro de Deus porque alguma tempestade surgiu”.

Quanto à forma de reconhecer Deus que vem ao nosso encontro, D. Nuno Brás disse aos jovens que “é preciso ter os olhos abertos”, sobretudo “os olhos da fé”, que a catequese foi ajudando a preparar ao longo de 10 anos.

E estar preparado é aceitar que, quando vem ao teu encontro, Deus “muda a tua vida, transforma a tua vida”, porque “percebemos que não estamos sozinhos, percebemos que no meio das tempestades da nossa vida não vamos só nós, vamos com Deus”. Quando assim é, “podem vir ventos e tempestades, o mesmo é dizer podem vir sofrimentos, podem vir derrotas, podem vir problemas, mas nós estamos com Deus”. Quando assim é “deixamos de olhar apenas para onde pomos os pés e passamos a olhar mais para longe”, deixamos de olhar para o aqui e agora e passamos a “perceber que fomos criados para a vida eterna” e para “a vida com Deus”.

Para compreender tudo isto, para perceber que tudo isto não é um sonho os jovens, lembrou o bispo diocesano, recebem o Dom do Espírito Santo que os ajuda “a viver como alguém que foi encontrado por Deus”, os ajuda a viver como cristãos e a perceber que “ser cristão não nos tira os sofrimentos nem as alegrias, mas ajuda-nos a vivê-los de outra forma”.

Como nota de reportagem de referir que D. Nuno Brás foi recebido nas Preces com um tapete de flores à entrada da Igreja e uma canção preparada especialmente para aquele momento.

D. Nuno Brás seguiu depois para a paróquia do Piquinho, onde crismou 34 jovens. À porta da Igreja, que viria a ser mais tarde benzida por ter sido recentemente substituída, havia de novo tapete de flores.

Nesta paróquia, onde tal como na anterior o pároco agradeceu a presença do bispo diocesano, D. Nuno Brás foi presenteado com uma imagem de São José, “em gesto de gratidão por ser nosso pastor, por estarmos no Ano de São José e por este ser o padroeiro de toda a nossa comunidade”.