Iconografia de São Tiago Menor na Diocese do Funchal tema de conferência

Cartaz

Na próxima quinta-feira, dia 17 de junho, pelas 19:30 horas, vai ter lugar na igreja do Colégio a última conferência do Ciclo de Conferências que comemoram os 500 Anos do Voto a São Tiago Menor.

Para falar da Iconografia de São Tiago Menor na Diocese do Funchal foi convidado o Dr. Martinho Mendes do Museu de Arte Sacra. Ora, “reconhecer a identidade de um santo na arte sacra, nem sempre é um processo linear ou imediato, lê-se numa nota enviada à comunicação social.

“Nesse exercício de reconhecimento, mas também de interpretação profunda das obras, entram em cena os diferentes elementos simbólicos, designados por atributos, que se relacionam de forma dinâmica com as subtilezas e significados acrescidos, como camadas, originados a partir de fenómenos histórico-culturais específicos, em torno das devoções vividas pelas comunidades”, explica ainda a referida nota.

A comunicação terá assim como ponto de partida a “análise histórica e artística da pintura que tem sido amplamente divulgada em associação ao programa das comemorações dos 500 anos do Voto a São Tiago Menor, Padroeiro da Cidade do Funchal”.

“Através da divulgação do conhecimento histórico e artístico em torno desta pintura, hoje conservada no Museu de Arte Sacra do Funchal, e que representa, na sua origem o Apóstolo Tiago, o Maior, procurar-se-á compreender as várias histórias que presidiram ao surgimento de algumas das diferentes representações existentes em torno de São Tiago Menor, mas também em relação a outros santos anteriormente invocados contra a peste desde os finais do século XV até ao século XXI, quer na Diocese do Funchal como em outros contextos não eclesiais locais”.

Nota biográfica

Martinho Mendes é mestre em Educação Artística pela Faculdade de Belas Artes da Universidade da Madeira e licenciado em Artes Plásticas – ramo educacional, pela Universidade da Madeira.

É investigador do Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira, revelando interesse e trabalho de pesquisa teórica e plástica em torno das culturas e patrimónios insulares. Enquanto artista visual tem participados em projetos individuais e coletivos desde 2000.

Trabalha no Museu de Arte Sacra do Funchal desde 2007 onde tem exercido funções de coordenação técnica e pedagógica, à frente do Serviço Educativo, às quais se juntam, desde 2016, as funções de conservador, curador e programador cultural.

Faz parte da Direção Executiva do Museu da Fundação Museu de Arte Sacra do Funchal desde 2020.