O presépio que nos habita

Lapinha de rochinha | Largo da Restauração, Funchal | Foto: P. Giselo Andrade

Um dos elementos mais fascinantes da época natalícia são os presépios ou, como se diz na madeira, as “lapinhas”. Para muitas famílias, a montagem do presépio é uma verdadeira tradição. 

As imagens, muitas delas dos tempos dos avós, são cuidadosamente desembrulhadas para que não se danifiquem, o que frequentemente acontece. Entre as imagens da tradição bíblica, foram sendo introduzidas outras figuras que integram o imaginário regional dos nossos costumes quotidianos ou festivos: a banda de música, a vindima, a matança do porco, a pesca e a agricultura, habitualmente colocadas num ambiente rural onde se encontram a igreja e as casas feitas em papel. 

O cenário feito em papel pardo pintado, que recorda as serras e lombos da ilha, oferece o melhor enquadramento para a gruta do nascimento de Jesus, para onde tudo converge. Os cursos de água recordam-nos as ribeiras e levadas que contornam e deslizam pelas montanhas. 

Os elementos naturais também são essenciais. Depois de serem plantadas, as searinhas podem ir logo para o presépio, para que todos possam acompanhar o seu crescimento, dando a noção de movimento e vida à medida que o verde se intensifica. A vegetação dos presépios vai depender muito do seu tamanho, mas é comum usar-se o musgo, ramos, pinhas e cabrinhas. 

Este presépio, a que chamamos de “rochinha”, é feito à imagem da nossa ilha, com os seus traços, costumes e tradições, como se disséssemos: É aqui que Jesus nasce! 

As descrições dos Evangelhos que nos narram a humildade e a pobreza da gruta de Belém, onde Jesus é colocado numa manjedoura e envolvido em panos, geraram no silêncio dos corações do nosso povo simples como que uma oração: “Menino Jesus, que não tiveste lugar na hospedaria, aqui tens a nossa ilha”. 

Habitamos num presépio. A ilha torna-se uma grande lapinha. É Natal e Jesus vai nascer na Madeira, como tão bem ilustram as nossas rochinhas. Mas, na verdade, é o presépio que nos habita. Um Santo e Feliz Natal!