“Louvada seja a Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria” (Pedras Vivas 06.12.2020)

Padroeira e Rainha de Portugal

Imagem de Nossa Senhora da Conceição | Igreja Matriz de Machico | Foto: Jornal da Madeira

No dia 8 de dezembro, a Igreja celebra a Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria. 

A devoção a Nossa Senhora da Conceição é uma das mais antigas da Madeira, trazida desde logo nas caravelas dos descobridores. 

No início do povoamento da Madeira, João Gonçalves Zarco mandou construir a capela de Nossa Senhora da Conceição, conhecida por Conceição de Baixo (igreja de Nossa Senhora do Calhau), e depois a igreja da Conceição de Cima (igreja de Santa Clara). Tristão Vaz Teixeira também edificou uma capela em honra de Nossa Senhora da Conceição na capitania de Machico, no ano de 1425. O mesmo foi feito no Porto Moniz, por Francisco Moniz, o Velho, um dos seus primeiros povoadores.

Na atualidade, para além das paróquias de Machico e Porto Moniz, Nossa Senhora da Conceição é também a padroeira da paróquia da Conceição, na Lombada da Ponta do Sol. A primitiva capela da Lombada, dedicada ao Espírito Santo, também chamada da Conceição, foi construída por João Esmeraldo e sagrada pelo bispo de Tânger, D. João Lobo, em 1508. No Elucidário Madeirense lê-se que “o templo atual é uma reedificação da primeira metade do século XVIII, sendo a capela mais vasta, mais elegante e mais rica de toda a Diocese”.

Diversas capelas dedicadas à Imaculada Conceição podem ser atualmente encontradas por quase toda a Diocese: Arco da Calheta, Câmara de Lobos, Estreito da Calheta, Monte, Ribeira Brava, S. Roque do Funchal e Tabua. 

Em Portugal, a Imaculada Conceição foi escolhida a 25 de março de 1646, por D. João IV, para “padroeira de nossos Reinos e Senhorios”, com a promessa de “confessar e defender sempre, até dar a vida, sendo necessário, que a Virgem Senhora Mãe de Deus foi concebidas sem pecado original”.

A partir desta provisão, os reis de Portugal nunca mais impuseram a coroa sobre a sua cabeça, nem mesmo no dia da coroação. 

O Papa Clemente X confirmou solenemente pela Bula “Eximia dilectissimi”, de 8 de maio de 1671, a eleição de Nossa Senhora da Conceição como Padroeira de Portugal. 

Em 1654, D. João IV ordenou que o juramento feito a 25 março 1646 “fosse gravado em pedra e colocado em todas as portas e lugares públicos das cidades e vilas do reino de Portugal”. Assim encontramos na fachada da Sé do Funchal a inscrição em pedra: “Louvada seja a Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria”.

A 8 de dezembro de 1854, o Papa Pio IX, pela bula “Ineffabilis Deus”,  definiu solenemente o dogma da Imaculada Conceição.

Download PDF (leitura A4)

Download PDF (impressão A3)