Madeira representada na entrega dos símbolos das JMJ (Pedras Vivas 29.11.2020)

O Papa entregou a cruz e o ícone de Nossa Senhora aos jovens portugueses

No domingo passado, Solenidade de Cristo Rei, o Papa Francisco entregou a uma delegação portuguesa os símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), cuja próxima edição internacional será no ano de 2023, em Lisboa. 

A representar os jovens madeirenses, participou da cerimónia o padre Carlos Almada, delegado da diocese do Funchal junto do Comité Organizador Local das Jornadas Mundiais da Juventude de Lisboa.

Este sacerdote referiu ao Jornal da Madeira que estava prevista a participação de muitos jovens portugueses na entrega da cruz das jornadas e do ícone de Nossa Senhora, inicialmente marcada para o Domingo de Ramos, mas devido às restrições por causa da pandemia não foi possível estarem presentes. Da Madeira eram nove os jovens que previam estar nesse evento. 

Na véspera do encontro com o Papa, a delegação portuguesa, composta por cerca de trinta elementos, participou da catequese do cardeal José Tolentino Mendonça, na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma, e que foi inspirada no tema para a JMJ 2023, “Maria levantou-se e partiu apressadamente”. 

O padre Carlos Almada disse que, para D. Tolentino, as Jornadas são um grande sinal, “os jovens são um sinal para o mundo”.

“As JMJ não são um ato isolado, um megaevento, mas este sinal de Cristo para nós. O convite para o evento é uma grande festa por causa de Cristo”, recordou o padre Carlos. Neste sentido, “a jornada é o caminho que se faz, a palavra de Deus que se ouve”.

Para preparar as jornadas na Diocese do Funchal será lançada uma iniciativa que vai percorrer as paróquias. Nos dias 23 de cada mês, os jovens das paróquias serão convidados a participar num encontro sobre as JMJ onde haverá catequese, atividades, dinâmicas e oração. O objetivo é conhecer os jovens e envolve-los nas jornadas. “Algo de jovens para jovens. Sejam os jovens a pensar a pastoral dos jovens: em que moldes e linguagem”, referiu o padre Carlos.  

Para o sacerdote responsável pelas JMJ na diocese, “uma boa preparação é já uma grande catequese. Uma grande preparação dará muitos frutos”.

Entretanto, neste domingo, 29 de Novembro, o Bispo do Funchal vai presidir pelas 21 horas, na Igreja do Colégio, à missa que marca o início da preparação das JMJ na diocese.

Download PDF (leitura A4)

Download PDF (impressão A3)