GR diz que acordou com a diocese: Missas do Parto sem convívios

Foto: Duarte Gomes

D. Nuno Brás já tinha avançado que essa poderia ser a solução para evitar os ajuntamentos, mas esta quinta-feira o presidente do Governo Regional veio confirmar aquilo que já se esperava. Os convívios habituais no final das Missas do Parto estão proibidos.

Quer isto dizer que as Missas do Parto vão ser celebradas de acordo com as regras em vigor, ou seja com respeito pelo distanciamento social, a higienização das mãos e o uso de máscara, mas sem as habituais confraternizações no exterior.

Miguel Albuquerque, que confirmou o uso obrigatório da máscara na Região para cidadãos a partir dos seis anos que circulem em locais públicos, afirmou que esta situação foi acordada com a diocese que, por sua vez e através da sua figura máxima, “pede para que se mantenha a calma” e sobretudo para que se “cumpram as medidas de prevenção contra a Covid-19”.