Cardeal Tolentino Mendonça homenageado com o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva

O cardeal Tolentino Mendonça recebeu ontem, 23 de outubro, o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2020.

Na ocasião, o cardeal madeirense deixou um apelo: “Protejamos o património cultural que os livros representam. Eles são mapas para decifrar de onde viemos, mas são também telescópios e sondas apontadas ao futuro”.

Na sessão de entrega do prémio realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, foram emitidas as mensagens de vídeo do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres e do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em declarações aos jornalistas, o cardeal Tolentino manifestou preocupação com as quebras no mercado editorial e sublinhou o valor dos livros: “Os livros fizeram a Europa, construíram e constroem a humanidade”.

A edição deste ano do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva “presta homenagem à contribuição excecional de Tolentino Mendonça para a divulgação da cultura e dos valores europeus”, afirmou a nota informativa do Centro Nacional da Cultura (CNC).

“Nascido em 1965 na ilha da Madeira, Tolentino Mendonça, poeta, teólogo, sacerdote e professor universitário, é considerado uma das vozes mais originais da literatura portuguesa contemporânea e reconhecido como um eminente intelectual católico”, diz o CNC.