Suplemento “Pedras Vivas” – 11 de outubro de 2020

Nas pegadas de São Francisco

O dia de São Francisco de Assis, 4 de outubro, ficou este ano marcado pela publicação da encíclica, “Fratelli tutti”. No dia anterior, o Papa tinha se deslocado a Assis para a assinar junto ao túmulo de São Francisco. Não aconteceu por acaso!

Nas palavras introdutórias da encíclica, o Papa esclarece que a expressão “Fratelli tutti”, que significa “Todos irmãos”, foi escrita por São Francisco, “dirigindo-se a seus irmãos e irmãs, para lhes propor uma forma de vida com sabor a Evangelho”.

Na verdade, “o pobrezinho de Assis” tem sido fonte de inspiração do Papa desde o início do seu pontificado, quando escolheu, pela primeira vez na história, o nome “Francisco”. Já a encíclica anterior, “Laudato Si’” (2005), iniciou-se com o “Cântico das criaturas”, também de São Francisco.

“Este Santo – diz o Papa – volta a inspirar-me para dedicar esta nova encíclica à fraternidade e à amizade social”.

No ano passado, na histórica viagem apostólica aos Emirados Árabes Unidos, o Papa encontrou-se com uma das mais importantes autoridades islâmicas, o grande imã de Al-Azhar, no Egito, e juntos assinaram um documento sobre a fraternidade. Esse acontecimento fez recordar o encontro de São Francisco com o Sultão do Egito, há 800 anos atrás, gesto extraordinário de paz em tempos de cruzada. 

Numa passagem da nova encíclica, escreve o Papa: São Francisco de Assis “escutou a voz de Deus, escutou a voz dos pobres, escutou a voz do enfermo, escutou a voz da natureza. E transformou tudo isso num estilo de vida. Desejo que a semente de São Francisco cresça em tantos corações”. 

Parece ser este o caminho que o Papa está a indicar para a Igreja e para o mundo: um estilo franciscano, que segue as pegadas de São Francisco… o “Santo do amor fraterno”.

Download PDF (leitura)

Download PDF (impressão)