50 anos de sacerdócio: Pe. Manuel Chícharo celebrou em São Jorge e no Monte

Foto: Pedro Santos

No passado dia 26 de julho, na igreja matriz de São Jorge, o Pe. Manuel Chícharo assinalou as Bodas de Ouro da sua Primeira Missa, celebrada precisamente nesta Igreja e também os seus 50 anos de ordenação, que se assinalaram a 27 de junho passado.

Apesar das circunstâncias que vivemos, motivadas pela pandemia, a celebração contou com a presença da sua família e com a presença de representantes das comunidades dehonianas da Madeira, bem como da comunidade paroquial de São Jorge.

Da celebração há que reter alguns momentos com particular significado, nomeadamente a entrada do sacerdote na Igreja, com um primeiro momento de homenagem na pia batismal onde, verdadeiramente, começou a sua vida cristã.

Na homilia da celebração, o Pe. Manuel “recordou e destacou a sua Primeira Missa em 1970, falando da sua família, dos seus pais que o ajudaram a crescer na fé, dos párocos que o foram ajudando na sua caminhada vocacional até o momento atual”, conforme se lê num texto do Pe. Juan Noite, publicado no site oficial da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus.

No final da Eucaristia houve lugar aos habituais agradecimentos e felicitações com a intervenção do Pe. Ronald, pároco da freguesia, o Pe. Bernardino Trindade, em nome dos Dehonianos.

Celebração no Monte

Entretanto, no dia 1 de agosto, recordando ainda estas Bodas de ordenação e de Missa Nova, o Pe. Manuel Chícharo celebrou a Eucaristia Vespertina na Igreja de Nossa Senhora do Monte. 

Nesta celebração em particular, marcaram presença pessoas que o sacerdote conheceu quando vivia no Colégio Infante onde foi superior, administrador e ecónomo. 

Apesar das máscaras obrigatórias, o sacerdote confessa, na sua página de facebook, que esta celebração, em que se “rezou pelos Sacerdotes e pelas vocações”, foi uma oportunidade para rever essas pessoas e de “matar saudades”.

Assim se assinalaram estas datas importantes para este sacerdote, que entrou aos 11 anos para o Colégio Missionário Sagrado Coração, no Funchal e que em 1962 que se tornou Dehoniano pela profissão dos conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência, conforme as Constituições dos sacerdotes do Coração de Jesus e a 27 de junho de 1970 foi ordenado padre pelas mãos do Cardeal Poma, Arcebispo de Bolonha.