Covid-19: Fundação São João de Deus dinamiza campanha solidária para ajudar 622 famílias

«A nossa esperança é que possamos cuidar de quem tem fome de alimentos e dignidade» – Sandra Silva

Cartaz

“Vai permitir apoiar mais de 600 famílias, mais concretamente 622, divididas pelas sete instituições e acreditamos que vamos conseguir dar resposta ao que se está a passar neste momento e, pelo menos, conseguir responder a estas famílias em concreto que estão identificadas no terreno”, disse hoje Sandra Silva, da FSJD, à Agência ECCLESIA.

A coordenadora da Delegação de Lisboa desta fundação destacou que a prioridade é apoiar pessoas que já estão identificadas “antes que entrem no ciclo de pobreza e exclusão”, lembrando o lema da iniciativa: ‘Hoje é a Teresa, amanhã podemos ser nós’.

“A nossa esperança é que possamos cuidar de quem tem fome de alimentos e dignidade, até que estas pessoas consigam reconquistar a independência das suas vidas. Quem puder ajudar que ajude, seja a fundação, seja as instituições que estão no tereno e precisem desse apoio para dar resposta à comunidade”, acrescentou.

A campanha solidária ‘Grão a grão combate-se a exclusão’ foi lançada esta segunda-feira, decorrendo até 9 de outubro.

O montante recolhido vai ser “distribuído de forma equitativa” pelas sete instituições selecionadas, “uma por cada região de Portugal, de norte a sul, incluindo as ilhas”, que fazem entrega de cabazes alimentares.

“Percebemos que os cabazes alimentares são a vertente mais carente do apoio alimentar por que não têm o apoio do Estado e os bens que recolhem na comunidade não são suficientes. Estabelecemos contactos e percebemos que há muitos alimentos que estão em falta nesses cabazes”, acrescentou Sandra Silva.

A entrevistadas explica que a FSJD criou uma “rede solidária” com as diversas instituições que foram escolhidas através dos contactos no terreno e também através da pesquisa na internet.

“Fomos influenciados por uma das homilias do Papa Francisco, quando apelou à criação das correntes de solidariedade”, observou.

A coordenadora adianta que o primeiro ponto de iniciativa solidária é no dia 7 de agosto e, depois, “a ideia é fazer de três em três semanas”.

A FSJD vai divulgar toda a informação sobre esta campanha no seu sítio online, procurando “tornar transparente todo este processo”.

A iniciativa ‘Grão a grão combate-se a exclusão’ vai ter divulgação nas redes sociais (Facebook), no boletim mensal ‘Gestos Solidários’ e através do correio eletrónico.

Sandra Silva assinala que “o impacto de primeiro dia é com os Meios de Comunicação Social” e benfeitores e pessoas que “apoiam os projetos da fundação que já estão a reagir, a ligar, a perguntar”.

“A campanha surge pelo facto de estarmos todos os dias a ouvir notícias de empresas que estão em lay-off, de famílias que estão com perdas de rendimentos, e começamos a perceber que havia pessoas a passar fome em Portugal”, contextualizou.

A Fundação São João de Deus, criada pela Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus a 20 de novembro 2006, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) tem como missão trabalhar na área do envelhecimento ativo e da saúde mental, na prevenção e na reabilitação.

CB/OC