Obras dignificaram igreja do Piquinho

Foto: Silvio Mendes

Na igreja do Piquinho, localizada na freguesia de Machico, decorreram obras de beneficiação com a colocação de cantaria na entrada principal o que contribui para uma maior dignidade daquele templo. Concluíram-se no início deste mês.

A igreja foi benzida a 23 de julho de 1967 sendo a sua construção motivada pelo grande empenho do Pe. Eduardo Nascimento, então pároco do Piquinho e teve enorme apoio e colaboração de toda a comunidade.

No decorrer dos anos foram efetuadas diversas obras naquele templo.
Tendo como padroeiro São José, a paróquia do Piquinho foi constituída pelo Decreto de D. David de Sousa com data de 24 de novembro de 1960, há 60 anos, tendo entrado em funcionamento a 1 de janeiro de 1961 juntamente com novas cinquenta paróquias madeirenses. Dessas foram extintas seis: Bom Despacho, no Campanário; Consolação, na Ribeira Brava; Santa Catarina, em Santa Cruz; Cruz, no Porto da Cruz; Vera Cruz, no Faial e São Joaquim, em Santana.

A escolha de São José para orago derivou da existência de um pequeno solar, que em tempos existiu no cume de um monte no sítio do Piquinho, com uma capela, do século dezoito dedicada a este santo. Desta capela restam algumas ruínas.

No ano de 2019 a paróquia do Piquinho realizou pela primeira vez, a festa de São José, o padroeiro no mês de agosto.

Durante muitos anos aquela festa decorria em julho, depois foi transferida para 19 de março, dia litúrgico de São José.

Porque essa é uma época em que o tempo atmosférico por vezes não é propício a animação exterior e porque coincidia com a Quaresma foi decidido realizá-la no segundo domingo de agosto, uma semana antes da solenidade do Santíssimo Sacramento naquela paróquia.