Porto Moniz: D. Nuno alertou para a necessidade de “defender a vida de tudo aquilo que a põe em perigo”

Foto: Duarte Gomes

O bispo do Funchal presidiu este sábado, dia 1 de junho, à celebração de uma Missa Campal no âmbito do programa da Festa de Encerramento do Projeto ‘Um Dia Pela Vida’ Porto Moniz 2018/2019. 

A Eucaristia, animada liturgicamente pelo Grupo Sol Mi Canto, contou com a participação de entidades regionais e locais, do presidente do Nucleo Regional da Liga Contra o Cancro, mas também de pessoas que estão a lutar contra a doença e de muitas que, felizmente, a ultrapassaram.

Na homilia D. Nuno Brás frisou “a necessidade de respeitarmos a vida desde a sua conceção até ao seu fim natural”, ou seja, de “respeitarmos cada momento da vida” e de a “defendermos na sua totalidade”. 

Mas esta vida humana, lembrou o prelado, é destinada a ser vivida com Deus. Esta é que é, de resto, “a boa nova”, que “dá um novo sentido e uma nova dignidade a cada momento desta nossa vida que vivemos aqui na terra”. É por isso, prosseguiu, que “queremos que esta nossa vida aqui na terra seja vivida com toda a dignidade, e é por isso que queremos que ela seja defendida de tudo aquilo que a põe em perigo”. 

O prelado apelou ainda a uma tomada de consciência “desta dignidade da vida que vivemos em cada momento” e a que “ajudemos todos os outros, todos aqueles que estão à nossa volta, a viverem também com toda a dignidade cada momento da sua existência”.

Alertou ainda que “não havemos de fazer uma vida boa e regalada à custa dos nossos irmãos, espezinhando tantas vezes os outros” e que “vale a pena preparar e viver no horizonte da vida eterna” que, “por ser vida de Deus”, dá “valor a esta nossa vida que aqui vivemos, porque nos mostra que esta vida que aqui vivemos é caminho para a vida de Deus”.

Antes a bênção final o Pe. Ricardo Freitas, pároco do Porto Moniz, que concelebrou esta Eucaristia conjuntamente com o bispo diocesano, o Pe. o Hugo Gomes e o Pe. Carlos Almada, agradeceu em seu nome e da comissão concelhia de ‘Um Dia Pela Vida’ a presença de D. Nuno nesta celebração e dos muitos sobreviventes que ali se encontravam. São pessoas que, disse, “se agarraram à vida também com a fé que nos move”. Não esqueceu também aqueles que partiram, mas que “lutaram e abraçaram também a fé como sinal de luta e de esperança na sua vida”.

Seguiu-se a bênção da chama da vida, das motas de um grupo de motards que se associou à celebração, nomeadamente à arruada que antecedeu a Missa, e de alguns automóveis clássicos.

Depois desta Eucaristia, que se iniciou às 10.30 horas, a Festa de Encerramento do Projeto ‘Um Dia Pela Vida’ Porto Moniz 2018/2019 prosseguiu com um dia cheio de atividades, sempre com muita alegria e sobretudo muita esperança.