Bispo do Funchal desafia crismados da Assomada a viver como Igreja jovem que nada teme

Em Ano Pastoral dedicado aos Jovens, a Paróquia da Assomada adotou precisamente o lema “Sou de Cristo, nada temo”.

O bispo do Funchal presidiu, na manhã deste domingo, à celebração do sacramento da Confirmação na Igreja Paroquial da Assomada a um grupo de 41 jovens e adultos daquela paróquia.

Logo depois do Pe. Paulo Sérgio, pároco da Assomada, ter apresentado o grupo como apto para receber o Crisma e de ter agradecido ao bispo do Funchal pela sua presença, D. António Carrilho dirigiu-se aos jovens pedindo-lhes, como é seu hábito nestas ocasiões, para que encarem este dia como um ponto de partida e não como ponto de chegada. Um ponto de partida para que, “sem temer as exigências”, possamos “percorrer dignamente os caminhos da vida cristã, assumindo as asperezas desse caminho, as dificuldades as lutas e as quedas”. Este, disse, “é um momento de festa”. Uma festa que “se vive por fora, mas que tem a sua repercussão e a sua raiz” no coração de cada um e “na fé que os traz aqui e que aqui vivemos”.

Já na homilia, o prelado voltou a dar graças por este dia tão “esperado” e “desejado” e a fazer votos de que ele “seja um dia para a vida” e um assumir da vontade de “continuar como discípulos missionários e amigos de Jesus Cristo”, dispostos “a avançar neste caminho do anúncio da palavra de Deus”.

Referindo-se ao caminho que estes jovens e adultos empreenderam para poder receber o sacramento da Confirmação, uns os 10 anos do Plano Nacional outros a preparação intensiva que os tornou aptos, o bispo do Funchal disse que “houve com certeza uma reflexão e um aprofundamento de alguns elementos da fé Cristã, mas naturalmente que não se chegou a tudo”. É por isso que estes jovens têm de continuar ligados à Igreja, porque “nós não queremos nada que não seja ajudar as pessoas a encontrar caminhos”. Caminhos de “fidelidade a Cristo, aos próprios compromissos da vida Cristã, e ser felizes ao longo desse caminho”. Podemos, e devemos, ser uma “igreja jovem” e que “nada teme”.

E neste Ano Pastoral que estamos a viver, cujo tema é Igreja Jovem com os Jovens, é preciso “refletir e identificar os problemas dos jovens” e pensar também “no que podemos fazer para ajudar”. A Paróquia da Assomada associou ao tema do Ano Pastoral o lema “sou de Cristo nada temo”. D. António não só mostrou a sua satisfação pela escolha, como convidou a comunidade e os jovens em particular a “pôr os olhos Nele”, na Sua vida. Uma vida com “momentos de glória, de muita alegria”, mas que culminou com a morte na cruz. Mas mesmo assim ”nada temo”, porque tal como Ele “havemos de vencer”. “A ressurreição de Jesus, disse, dá-nos esta esperança e esta força”.

Depois de breves reflexões sobre as leituras do dia e o evangelho, o prelado fez referência à Semana dos Seminários, que chegou ao fim neste domingo, e ao I Dia Mundial dos Pobres, que foi instituído pelo Papa Francisco e que se assinalou neste domingo também, sublinhando em relação a este último que a ajuda ao outro “tem de ser de prática concreta” e não apenas “de boca”.

Voltando de novo aos jovens crismados, o bispo do Funchal apelou à sua participação na Eucaristia Dominical. Aos padrinhos, “que são de hoje, mas não para hoje”, D. António pediu para que os ajudem a cumprir este e outros preceitos, e sejam a “presença” que faz falta em certos momentos da vida. Além disso convidou a assembleia a rezar pelas vocações sacerdotais, religiosas e missionárias.

No final da cerimónia D. António ofereceu a cada crismado, em nome da diocese, o livro dos “Evangelhos e Actos dos Apóstolos”, a que se juntou também um diploma oferta da paróquia.