Vaticano: faleceu o cardeal Tettamanzi

Um “pastor zeloso”, dedicado “totalmente ao bem dos sacerdotes e de todos os fiéis, defendendo com solicitude temas como o da família, do matrimônio, da Bioética, dos quais era perito”, o cardeal Dionigi Tettamanzi, arcebispo emérito da Arquidiocese de Milão, faleceu hoje (dia 5 de agosto) aos idade de 83 anos.

O Papa Francisco recorda o “alegre testemunho do Evangelho” dado pelo cardeal Tettamanzi, que “serviu com docilidade a Igreja” em vários organismos episcopais e comunidade diocesanas.

D. Dionigi Tettamanzia era natural de Renate (Itália); estudou no Seminário Menor de Milão; fez a licenciatura e o doutoramento em Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma; e foi ordenado sacerdote aos 23 anos de idade.
Criado cardeal no Consistório de 1998; foi nomeado pelo Papa João Paulo II como arcebispo de Milão em 2002; e em 2011, Bento XVI aceitou a sua renúncia por limite de idade.

Com a morte do Cardeal Tettamanzi, o Colégio Cardinalício fica agora constituído por 223 cardeais, dos quais 121 eleitores e 102 não eleitores.