José Bernardino Côrte apresentou o seu  ‘Às voltas’ no auditório do SPM

Foto: Duarte Gomes

Decorreu ao fim da tarde de domingo, dia 4 de Dezembro, no auditório do SPM, a apresentação do livro ‘Às voltas’, de José Bernardino Côrte.

Uma obra onde estão “guardados cinco contos”, devidamente ilustrados, que segundo o autor resultaram também em “cinco obras de arte” que estiveram igualmente expostas

Esta apresentação contou com a presença do Bispo do Funchal e do Pe. Martins Júnior, que começou por sublinhar o facto de “ser estranho, num domingo à tarde, conseguir reunir tanta gente, sinal de que o livro é muito bom e vós sois ainda melhores”.

Outro pormenor que o sacerdote destacou, foi o facto do livro não ter prefácio, e deste ser “um pequeno tesouro escondido em São Paulo, na Ribeira Brava e que nos leva a ler uma, duas e três vezes, onde nada está por acaso”. Aliás, continuou, “este livrinho, pelo número de páginas, é um livro enorme, que nos remete para outros autores que escreveram livros que são parentes próximos deste”.

A alma Madeirense

Já D. Nuno Brás salientou que quem “olha a Madeira de fora, vê uma ilha paradisíaca e nem desconfia, e falo por mim, o duro que foi viver nesta ilha”.

De resto, continuou, “a história deste povo madeirense, que luta pela sobrevivência e pela vida, é qualquer coisa que eu aprendi a perceber e a admirar”. E “é isso que nós temos aqui neste livro, é a alma madeirense no seu melhor, na sua delicadeza, na sua fé, na sua docilidade, mas também na sua crueza, na sua tenacidade”.

Com a maioria dos contos a falar do Natal, o prelado questionou-se sobre se “será que nestas condições vale a pena celebrar o Natal, vale a pena acreditar em Deus”. Claro que a resposta foi sim, afinal, “o que seria do madeirense sem Deus, sem a Festa, sem o Natal, não apenas por motivos psicológicos, mas humanos e crentes”. E esta foi, “a grande descoberta do povo madeirense”.

Um livro que, de facto, “facilmente poderia ser passado para o cinema”, com “a história a “servir de pretexto para apresentar estas várias figuras do povo madeirense”.

Esta apresentação contou com dois momentos de representação de passagens do livro e ainda de dois momentos musicais um dos quais uma canção inspirada no livro “Às voltas”, o primeiro dos contos, deste livro.

Um livro que fala da Madeira de outros tempos, de histórias e personagens na sua maioria reais. Tanto assim, que a grande fonte de recolha de informação foi o pai do próprio autor, natural das zonas altas da Ribeira Brava e que esteve presente neste lançamento.