Novo Almanaque do Posto Emissor do Funchal já foi apresentado

D.R.

A 27.ª edição do Almanaque do Posto Emissor do Funchal foi lançada esta segunda-feira. Volta a ser coordenada por Graça Alves, que no editorial refere que “apesar das novidades dos tempos, parece-nos ainda fazer sentido manter acesa esta vontade”, lembrando que o Almanaque nasceu do sonho de Teresa Clode em 1992.

A propósito deste lançamento, D. Nuno Brás, em entrevista ao Posto Emissor do Funchal, refere que se trata de uma publicação muito importante, que é lançada pelo PEF “uma rádio muito importante, sobretudo pelos ouvintes” e porque “é um modo da diocese estar, comunicar, viver com tantas pessoas que escutam o Posto Emissor do Funchal”. 

Neste contexto, o prelado fez questão de “saudar os ouvintes”, até porque, acrescentou, “são eles que estão de parabéns”, não só, mas também, porque “voltam a ter uma companhia diária, porque um almanaque é isso mesmo, mostra o que em cada dia do ano se pode esperar, se pode fazer, quais são as nossas possibilidades de vida, enfim, coisas bonitas que existem mesmo à nossa frente e que é importante darmo-nos conta delas”.

D. Nuno Brás, confessou, que para si “a informação mais útil tem a ver com as paróquias, a rua concreta onde fica a igreja, os horários das missas”.  Mas o bonito deste Almanaque é isso mesmo: ter informações úteis e práticas para a maioria das pessoas e em diversas áreas. 

De facto, nas 124 páginas deste almanaque há informações úteis, como os horários as missas na Diocese do Funchal, as festas religiosas calendário agrícola, eras cronológicas e fases da lua, assim como textos sobre diversos temas relacionados com a Madeira e Porto Santo.

D.R.