Ordem dos Frades Menores elege novo ministro geral

A eleição aconteceu na manhã desta terça-feira (13) durante o Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores, em Roma. O 121º representante de São Francisco de Assis vai ficar na função de ministro geral de 2021-2027. A eleição foi presidida, segundo nomeação do Papa Francisco, pelo cardeal brasileiro João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica.

Frei Massino Fusarelli | D.R.

Os 116 frades capitulares que participam do Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores, em andamento no Colégio Internacional São Lourenço de Brindisi, em Roma, elegeram na manhã desta terça-feira, 13 de julho, o novo Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores. O 121º representante de São Francisco de Assis é o italiano Frei Massimo Fusarelli, atualmente Ministro Provincial da Província São Boaventura, nascida da união das antigas províncias de Abruzzo e Lazio, ocorrida em 2017. Ele ficará na função de Ministro Geral de 2021-2027.

A eleição foi presidida, segundo nomeação do Papa Francisco, pelo Cardeal brasileiro João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica. Amanhã (14/7) será eleito o Vigário Geral e, na quinta-feira (15/7), os integrantes do Definitório Geral.

Ao ser informado da notícia, o Papa Francisco congratulou-se com o novo eleito através de um telegrama, em que garante a sua oração e bênção “para que o Senhor o assista e o proteja na realização do seu serviço. O seráfico Pai São Francisco seja de encorajamento na guia dos seus frades”.

A biografia de Frei Massimo Fusarelli

Frei Massimo nasceu em Roma em 30 de março de 1963 (58 anos). Conheceu os Frades Menores da Paróquia de São Francisco em Tivoli, amadurecendo a escolha pela vida religiosa franciscana. Vestiu o hábito franciscano em 28 de julho de 1982, fazendo a Primeira Profissão em 30 de julho de 1983. Ele viveu até 1989 na “São Bonaventura” de Frascati, preparando-se para a profissão solene e ordenação presbiteral, recebidas na Igreja de “São Francisco” do Tivoli, em 30 de setembro de 1989.

Depois do Noviciado, cursou Filosofia e Teologia no então Pontifício Ateneu Antoniano, obtendo o Bacharelado em Teologia em 1988. Por decisão de seus superiores, iniciou os cursos de Licenciatura e Doutorado em Teologia Patrística no Pontifício Instituto Patrístico Augustinianum, obtendo os títulos relacionados em 1992. Lecionou Teologia Patrística no Instituto de Ciências Religiosas do então Pontifício Ateneu Antoniano (1991-1996).

Já esteve no governo da Ordem quando foi Secretário Geral de Formação e Estudos (2003 a 2009) e Visitador Geral para a Província de Nápoles e depois para o processo de unificação das Províncias do Norte da Itália. Em nível provincial, foi Definidor, animador da Pastoral Vocacional e depois secretário da Formação Permanente; várias vezes guardião, função que acumula hoje como Ministro Provincial, além de pároco da Paróquia São Francisco a Ripa e responsável pelo projeto de acolhida aos pobres. Foi nessa igreja onde São Francisco viveu e rezou em sua passagem pela Cidade Eterna, durante as visitas ao Papa Inocêncio III.

Nos últimos anos residiu nos Conventos São Bonaventura al Palatino em Roma e Santa Maria delle Grazie em Ponticelli Sabino (Rieti), também foi convidado a fazer parte do Conselho Presbiteral da Diocese de Sabina e depois no Conselho de Roma (1999-2002), sempre no contexto da pastoral juvenil e vocacional. Participou e organizou missões populares e animação nas paróquias.

No serviço de unificação das Províncias do Norte, em tempo integral, Frei Massimo presidiu o Conselho de seis ministros provinciais de janeiro de 2014 até a união, acompanhou os diversos órgãos interprovinciais, depois de realizada a visita canônica às 75 fraternidades locais, a visita fraterna aos 29 mosteiros das Irmãs Clarissas, a visita aos bispos diocesanos onde estão presentes os conventos,  e acompanhar a preparação do Capítulo Provincial unitário, inaugurado em 16 de maio de 2016 com o nascimento da nova Província do Norte da Itália.

De 2015 a 2018 foi assistente Geral do Instituto Secular dos Missionários da Realeza de Cristo; de outubro de 2016 a agosto de 2017 viveu com outros irmãos entre as vítimas do terremoto de Amatrice e Accumoli (Rieti). Em 2 de julho de 2020 foi eleito Ministro Provincial em Capítulo e, em 7 de outubro de 2020, presidente da Conferência dos Ministros Provinciais da Itália e da Albânia (COMPI). Agora, com sua eleição, Frei Luciano De Giusti, o Vigário Provincial, deve assumir a Província no seu lugar.

Segundo dados mais recentes publicados pela “Acta Ordinis”, neste Capítulo Geral, Frei Massimo acompanhará e animará a Ordem dos Frades Menores em 119 países em todos os continentes. Numericamente, os Frades Menores são cerca de 12.479 – não inclusos os 492 postulantes –  e estão assim distribuídos: África e Médio Oriente: 1.300; América Latina: 3.113; América setentrional: 1.004; Ásia-Oceania: 1.514; Europa Oriental: 2.314 e Europa Ocidental: 3.234.

O termo ministro vem diretamente do fundador, São Francisco de Assis, que, segundo ele, os irmãos eram todos iguais e não gostava do termo “superior”. Assim, os frades que supervisionavam os demais irmãos deveriam ser um servo que cuidava (“ministrava para”) deles e não um superior.

Os Ministros Gerais em mais de oito séculos

No dia 29 de maio de 1517, quando o Papa Leão X, depois de séculos de controvérsias, produziu a bula “Ite et vos in vineam meam”, com a qual sancionou a divisão entre os Conventuais não-reformados e os Observantes. Esses últimos se tornaram a Ordem dos Frades Menores e ao superior deles, o Ministro Geral, foi devolvido o antigo selo da Ordem e foi lhe dado o direito de precedência em relação ao superior dos Conventuais.

O século XVI vivia um generalizado clima de reforma religiosa e, aqui, situa-se a “Reforma Capuchinha”, aprovada pelo Papa Clemente VII (1522-1534) em 1528 mediante a bula “Religionis zelus”. Em 1529, o novo ramo franciscano redigiu suas primeiras normas de vida, conhecidas como “Constituições de Albacina”, que foram aperfeiçoadas em 1536 com as novas “Constituições de Santa Eufêmia”.

Moacir Beggo – Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil