Mensagem do Bispo do Funchal: Uma Quaresma diferente, acompanhados por S. Tiago Menor

Foto: Duarte Gomes

Na próxima quarta-feira, vamos começar a Quaresma. Será, de novo, uma Quaresma diferente, devido às restrições a que a pandemia nos obriga, mas que vamos procurar viver com todo o fervor.

No próximo dia 11 de Junho completam-se os 500 anos em que os nossos antepassados escolheram S. Tiago Menor como Padroeiro da nossa Diocese. Como sabeis, a este Apóstolo é atribuída a autoria de um dos escritos do Novo Testamento, a Carta de S. Tiago.

Por isso, gostaria de vos propor que, em cada dia desta Quaresma nos deixássemos alimentar espiritualmente pela Carta de S. Tiago. Trata-se de um escrito pequeno mas ao mesmo tempo profundo, que nos convida a mudar de atitudes de uma forma muito concreta.

Assim, em cada dia irei propor-vos uma pequena meditação que ajude àquela atitude interior e exterior de quem quer ser melhor cristão. Podereis conhecê-la seja através da página web da diocese, do Facebook, ou em papel nas vossas paróquias, bem como diariamente no PEF.

Na sua Mensagem, o Papa Francisco convida-nos nesta Quaresma a renovar a fé, a esperança e a caridade: a fé que nos chama a acolher a Verdade e a ser suas testemunhas diante de todos; a esperança que nos permite caminhar; a caridade, que nos torna atentos e compassivos em relação ao nosso próximo.

Esta renovação, diz o Papa, faz-se através do jejum, da oração e da esmola: “o caminho da pobreza e da privação (o jejum), a atenção e os gestos de amor pelo homem ferido (a esmola) e o diálogo filial com o Pai (a oração)”.

Não vamos deixar que o vírus tome conta de nós, da nossa vida, e nos paralise. Façamos verdadeira Quaresma: não deixemos de nos aproximar de Deus e do sacramento da Confissão; não deixemos de ajudar o próximo; não deixemos de crescer interiormente.

No ano que passou, devido ao confinamento, não foi realizada qualquer recolha da renúncia quaresmal. Este ano, como gesto diocesano de renúncia, proponho-vos que a nossa oferta (a ser recolhida no Domingo de Ramos) seja entregue à Diocese de Pemba, em Moçambique, que vive momentos de grande aflição pelas catástrofes naturais e pelos ataques dos fundamentalistas islâmicos.

Não esqueçamos de continuar a pedir, por intercessão de S. Tiago, o fim desta pandemia que a todos oprime. Uma santa Quaresma para todos!

+ Nuno, Bispo do Funchal