Covid-19: OMS alerta para a “fracasso moral catastrófico” por distribuição desigual de vacinas

Tedros Adhanom Ghebreyesus | D.R.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, alertou nesta segunda-feira, 18 de janeiro, para a enorme desigualdade na distribuição da vacina contra a covid-19.

“Tenho de ser franco: o mundo está à beira de um fracasso moral catastrófico, e o preço desse fracasso será pago com vidas e o sustento nos países mais pobres”, advertiu Tedros no discurso de abertura da 148ª sessão do Conselho Executivo da OMS, que se reúne nos próximos nove dias.

O dirigente da OMS explicou que mais de 39 milhões de doses da vacina foram distribuídas pelo menos em 49 dos países mais ricos, em comparação com apenas 25 doses num país pobre.

O “acesso equitativo”  às vacinas não é só um “imperativo moral”, pois “não é correto que pessoas mais saudáveis ​​e jovens dos países ricos sejam vacinados antes de profissionais de saúde e idosos ​​dos países mais pobres”, mas também é um “imperativo estratégico e económico”.

A desigualdade no acesso à vacina “vai prolongar a pandemia”, afirma o diretor-geral da OMS que renovou o apelo a todos os países a “trabalharem juntos, em solidariedade”.