Dia 17 de janeiro – Celebração da morte da Madre Virgínia

Foto: Jornal da Madeira

Por Conceição Freitas

Jesus é o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do Mundo.

“Que Alegria quando me disseram: Vamos para a casa do Senhor…”

Este cântico cantado no início da Missa de hoje expressa o que cada um de nós sentia desde muito cedo, ao acordar.

Hoje, os Cânticos, as Leituras, o Evangelho, e… tudo está relacionado com a vida da Madre Virgínia. Feliz coincidência? Não, Deus providenciou.

Samuel foi chamado por Deus ainda criança (3,10), Madre Virgínia tinha 7 anos.

S. Paulo admoesta-nos sobre a importância do corpo em que há “união hipostática” do corpo e alma, pois “quem se une ao Senhor forma com Ele um só espírito” (1Cor 6,13). A Madre Virgínia, pouco antes da morte, “com palavras entrecortadas e falando já muito baixinho, pediu-lhes que ao amortalhá-la, o fizessem com todo o recato, pois o seu corpo estava consagrado a Deus”.

Tanto os profetas do A.T. como João Batista já do N. T. assim como os Santos não se promovem a si mesmo, mas apontam para Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do Mundo e seguem-no para que nós O sigamos também.

Senhor, onde moras? Pergunta quem O procura, disse o Celebrante para que se reflita e nunca deixemos de O procurar.

Madre Virgínia, intercedei junto do Imaculado Coração de Maria para que não deixemos de procurar Jesus pois quem procura há-de encontrá-lO.