Diocese do Funchal: Casamentos e batismos podem ser celebrados no respeito pelas “normas de segurança”

D.R.

Consciente da “gravíssima situação de pandemia”, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) fez saber esta quinta-feira, dia 14 de janeiro, em comunicado enviado às redações, que as celebrações litúrgicas, nomeadamente as missas e os funerais, continuarão a celebrar-se com a presença de fiéis, cumprindo as orientações, nomeadamente a higienização das mãos à entrada, o uso obrigatório da máscara e a manutenção de uma distância de segurança entre os participantes. Porém, os Batismos, os Crismas e os Casamentos “devem ser suspensos ou adiados para momento mais oportuno, quando a situação sanitária o permitir”.

No entanto, e atendendo a que a situação pandémica na Madeira é diferente da que se vive no território continental, por cá “a Diocese do Funchal continua a celebrar os Batismos e Matrimónios e Crismas”.

Isso mesmo nos confirmou o cónego Marcos Gonçalves, responsável pelo gabinete de informação da diocese. De acordo com aquele sacerdote, “não há alteração em relação ao que já tem vindo a acontecer desde o ano passado e desde que sejam respeitadas todas as normas de segurança”.

Ainda assim, o cónego Marcos adianta-nos que “a maior parte dos fiéis estão a remarcar as datas para o fim do ano e para o ano que vem, uma vez que para além da celebração do sacramento querem também organizar uma festa familiar”.

Neste momento, adiantou-nos ainda este responsável, pelo menos para já “não há nenhuma celebração do crisma que esteja marcada para 2021”.  Já os batismos e matrimónios “têm sido celebrados com poucos convidados, sempre com uso de máscara e distanciamento e desinfeção das mãos à entrada da igreja”, como está determinado.

Catequese presencial

Outra das áreas a que se referia o comunicado da CEP é a da catequese. Neste âmbito, no mesmo ponto três, onde se fala dos Batismos, Crismas e Casamentos, pode ler-se também que “a catequese continuará em regime presencial onde for possível observar as exigências sanitárias; de contrário, pode ser por via digital ou cancelada”.

Esta decisão vem ao encontro daquilo que desejava o Secretariado Diocesano da Educação Cristã (SDEC) do Funchal, que em Dia de Reis já desejava “bom trimestre de catequese e aulas a todos quantos a saúde permite (e que todos sejam sãos e salvos)”.

Do mesmo modo, o dito secretariado informa em nota enviada à redação do Jornal da Madeira, que “a formação de catequistas (cursos de iniciação, geral e outros) também é retomada de acordo com os intervenientes”.