Chamamento dos primeiros discípulos – 4º dia do novenário

Extinto Convento das Mêrces, Funchal

Por Conceição Freitas

“Completou-se o tempo e o reino de Deus está próximo, arrependei-vos e acreditai no Evangelho”. (Mc 1, 15)

– Que Boa Nova! É um apelo ao marasmo em que vivemos. Pensei eu, durante a sua proclamação.

“Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens” (Mc 1,17)

– Agora, trata-se da minha decisão e do meu compromisso assumido no meu Batismo e confirmado por mim no meu Crisma, quer num caso, quer no outro, perante testemunhas credíveis.

Entretanto, o Sacerdote já ia bem à frente na sua reflexão quando eu regressei do meu espanto! E, dizia: “…havia no Convento das Mercês uma imagem do Senhor da Paciência que com voz suave , mas dolorosa, saída dos lábios do Senhor, lhe dizia: Minha cara filha, então assim te vais embora e Me deixas aqui sozinho, entregue aos insultos dos meus inimigos?… Leva-Me contigo!” (in Madre Virgínia uma vida de Amor).

O eco das expressões: “Vinde comigo” e “Leva-me contigo!” explodia na minha cabeça! E o Sacerdote continuou dizendo que perante a vida da Madre Virgínia, Mulher Clarissa, não interessa só saber como ela foi, nem como ela era, mas sim com ela ir a Jesus para como ela O levar aos outros.

– Leva-O contigo à tua Família, ao teu Trabalho, ao Café, nos Transportes Públicos, na Rua, aos teus Vizinhos e aos teus Amigos… propôs ele.

Valeu a pena ter ido lá acima nesta manhã tão fria! Obrigada, Senhor Padre Isildo!

Madre Virgínia, seja testemunha neste compromisso que nos propôs, pois queremos como os discípulos, deixar tudo e seguir Jesus para O levar aos outros.