O presente de Natal

D.R.

No próximo dia 8 celebramos a Imaculada Conceição de Nossa Senhora. O mesmo é dizer: celebramos a “Cheia de Graça”, esse novo nome de Maria, dado pelo Anjo durante a Anunciação.

Na Bíblia, os nomes nunca são dados ao acaso, antes significam aquilo que a pessoa é ou a missão que Deus lhe confiou. Assim, ao dizer que Maria é a “Cheia de Graça”, o Anjo reconhece a obra de Deus na pessoa da Virgem: tudo nela é dom de Deus, e tudo nela é correspondência a esse dom. Nada é vivido, pensado ou desejado fora da vontade de Deus. 

Foi deste modo que o próprio Deus preparou a Sua morada, o seio da Virgem Maria, de onde havia de nascer Jesus, o Deus feito homem. Assim, ao olhar para Maria, vemos o que pode suceder na nossa vida   quando acolhemos o amor que Deus nos tem.

A esta mesma graça de Deus fez referência o Papa Francisco na passada Quarta-feira, ao dizer: “A graça de Deus muda a vida: toma-nos como somos mas nunca nos deixa como estamos”. Deus ama-nos como somos. Mas o seu amor, quando é acolhido por nós, transforma-nos. Esse é o verdadeiro presente de Natal.