A família não é um hotel

D.R.

Estamos a viver a Semana Nacional da Educação Cristã, que nos chama a atenção para o lugar da família na educação.

A este mesmo lugar se referia também o Papa Francisco na sua recente encíclica “Todos irmãos”. Dizia o Papa: “Penso […] nas famílias, chamadas a uma missão educativa primária e imprescindível. Constituem o primeiro lugar onde se vivem e transmitem os valores do amor e da fraternidade, da convivência e da partilha, da atenção e do cuidado pelo outro. São também o espaço privilegiado para a transmissão da fé, a começar por aqueles primeiros gestos simples de devoção que as mães ensinam aos filhos” (n. 114).

Estas são palavras importantes, que convidam, em primeiro lugar, a que as nossas famílias não se esqueçam desta sua tarefa primordial. Infelizmente, muitas famílias pensam hoje que a tarefa de educar é própria da escola, como se a família fosse apenas fornecedora de “condições hoteleiras” para a educação, quer dizer, para o crescimento interior dos seus membros mais novos.

Sabemos que não é assim, de um modo particular no que diz respeito à vida da fé. Hoje como no tempo passado, da família depende, em grande parte, o sucesso de alguém como ser humano completo e harmonioso e como cristão que vive a fé em cada dia que passa.