Venezuela: Assassinado padre com raízes na Madeira

Foto: Facebook

O padre José Manuel de Jesús Ferreira, de 39 anos, filho de madeirenses naturais de Câmara de Lobos, morreu esta quarta feira, na sequência de um assalto junto à igreja de São João Baptista, em São Carlos, no Estado de Cojedes, Venezuela (a quatro horas de Caracas), onde era pároco. 

Segundo as fontes, o sacerdote tinha participado “numa reunião com vários anciãos”. No momento em que saiu da casa paroquial foi “intercetado pelos criminosos” que dispararam sobre ele. Faleceu pelas 00h15, horas locais.

Os residentes da zona denunciaram que os apagões elétricos e a falta de iluminação nas ruas daquela localidade têm facilitado a presença e ataques de criminosos.

“Tem sido muito difícil. Ninguém espera uma notícia desta forma. As minhas palavras afogam-se em lágrimas”, disse ao JM-Madeira, Daniel de Jesus Ferreira, irmão do sacerdote que em 2017 emigrou para a Madeira juntamente com os pais.

“Como muitos, fugimos da crise que flagela o nosso país. Não era apenas um problema económico, era um problema social, tínhamos muito medo do crime. Mataram-no para o roubar. Sempre lutei para que ele viesse para a Madeira, mas ele nunca quis. Dizia que a sua missão era na Venezuela”, partilhou Daniel Ferreira.

Segundo um jovem que estava na igreja na hora do assassinato, o padre morreu porque estava a proteger alguns paroquianos. “Ele sempre foi um ser humano e um servidor excecional, para mim ele sempre foi como meu pai”.

A última visita que o padre José Ferreira fez à Madeira foi em dezembro de 2019. Nessa ocasião celebrou a Eucaristia com o padre Marcos Pinto na paróquia do Carmo.

“Este Sacerdote esteve connosco no Natal do Ano passado, filho da Paróquia do Carmo! Lamento profundamente esta morte! Rezarei por ele!” adiantou o pároco do Carmo reagindo à notícia.

[atualizado às 18:57h]