Custódia de Terra Santa oferece casas para evitar êxodo de cristãos

Cidade velha de Jerusalém

A Custódia da Terra Santa oferece mais de 582 casas em Jerusalém – distribuídas dentro e fora da Cidade Velha – além de 72 casas em Belém, fornecendo assim alojamento a aproximadamente 2.050 pessoas no total. Até o momento, os pedidos de moradia são mais de 700, dos quais pelo menos 250 são urgentes.

As Pedras vivas devem permanecer na terra de Jesus: este é o objetivo ao qual se propõe a Custódia Franciscana da Terra Santa, ao oferecer moradia gratuita aos cristãos que vivem na área, como imforma o site da Custódia.

Se na metade do século passado a Custódia da Terra Santa oferecia “pão e azeite” como ajuda quotidiana nas suas paróquias, hoje, devido às diversas exigências da população, providenciar um alojamento ou uma habitação onde se possa ter uma vida digna se tornou um meio para manter viva a presença cristã na Terra Santa.

Neste sentido, a Custódia oferece mais de 582 casas em Jerusalém – distribuídas dentro e fora da Cidade Velha – além de 72 casas em Belém, fornecendo alojamento assim a aproximadamente 2.050 pessoas no total. Até o momento, os pedidos de moradia são mais de 700, dos quais pelo menos 250 são urgentes.

“Esta casa é toda a minha vida. Esta casa é um lugar especial para mim e eu nunca poderia deixá-la. Meu filho Musa tentou várias vezes me persuadir a ir morar fora do país, mas sempre respondi com uma recusa absoluta”, é testemunho de Graziella Qamar, cristã que mora na Cidade Velha de Jerusalém.

“Os frades – continuou ela – não pedem nem um centavo e não vêm nos pedir para sair da casa. Mais de 20 famílias moram neste imóvel, nenhuma delas paga o aluguel. A Custódia reformou muitas casas. Estou aqui desde 1961 e os Frades franciscanos nunca me pediram para pagar o aluguel. Deus abençoe os Frades pelo que oferecem às pessoas”.

Os frades franciscanos na Terra Santa não se limitam a custodiar e conservar as pedras desses lugares, mas também cuidam das Pedras vivas, isto é, dos cristãos locais e especialmente daqueles que se encontram em condições de adversidade. Um exemplo desse compromisso é representado pela Casa da Criança de Belém, fundada em 2007, que hoje acolhe mais de 24 crianças e adolescentes que se encontram em particulares condições de penúria social.

Vatican News Service – RB