Freguesia de São Jorge vai realizar duas celebrações festivas

Foto: Silvio Mendes

No mês de agosto a paróquia de São Jorge realiza as suas duas festas mais conhecidas: a do Santíssimo Sacramento que neste ano decorrerá no domingo 9 deste mês e a de São Jorge a ter lugar no domingo 16 de agosto.

Como preparação para a festa do Domingo do Senhor, denominação como também é conhecida a solenidade do Santíssimo Sacramento, serão celebradas novena e missa às 20 horas do sábado 8 de agosto.

A festa principiará pelas 16 horas do próximo domingo. A partir das 17 horas haverá procissão à volta da igreja e bênção do Senhor a toda a freguesia.

No domingo 16 de agosto pelas 9 horas será celebrada a Eucaristia votiva da festa de São Jorge e às 15 horas principiará a peregrinação da imagem de São Jorge pelos sítios daquela freguesia.

A novena e Eucaristia da vigília da festa decorrerão no sábado, dia 15, com início às 20 horas.

A freguesia de São Jorge está situada no extremo norte da ilha da Madeira, junto da Ponta de São Jorge, e é atravessada pela ribeira do mesmo nome.

Não é possível datar com precisão o início do seu povoamento e colonização. Sabe-se, contudo, ter sido Lopo Fernandes Pinto um dos seus mais antigos sesmeiros que para aqui veio habitar em meados do século XV.

Tudo indica ter esta freguesia começado a ser habitada na segunda metade do século XV, no sítio do Calhau, vale apertado por íngremes veredas.

Cerca do ano 1520 foi constituído um curato autónomo sob cuja jurisdição se contavam as futuras paróquias de Santana e do Arco de São Jorge que dele viriam a ser desanexadas em 1552 e em 1676, aquando da elevação desta povoação a freguesia autónoma. Mais tarde, em 1746, foi criado um curato devido ao grande aumento da população.

A sede da paróquia ficou no sítio do Calhau, instalada numa pequena capela de invocação a São Jorge que se presume datar do último quartel do século XV ou princípios do século XVI. Esta capela foi convertida em igreja paroquial, que deu nome à freguesia.

Pelos anos de 1660  a igreja de São Jorge foi quase inteiramente destruída por uma aluvião, motivando a construção de um novo templo nos finais do segundo quartel do século XVIII, que é a atual  igreja paroquial, localizada no sítio da Achada Grande.

A igreja de São Jorge é considerada o melhor exemplo de arquitetura barroca no espaço rural madeirense. No seu interior sobressai um crucifixo em que o corpo de Cristo, que mede cerca de um metro de altura, é considerado uma das mais belas esculturas em madeira.