Devoção ao Espírito Santo na Madeira e Porto Santo

Foto: Silvio Mendes

No domingo 31 de maio, 50 dias depois da Páscoa, a Igreja celebra a festa do Pentecostes recordando o dia em que o Espírito Santo foi derramado sobre os discípulos pela primeira vez. Antes disso, o Pentecostes era uma festa judaica instituída por Deus, para celebrar a colheita.

O Pentecostes foi a primeira vez que os discípulos receberam o Espírito Santo e pregaram o evangelho completo. Também marcou o início da expansão da igreja, que continua até à atualidade.

Na Madeira e Porto Santo a devoção ao Espírito Santo é muito antiga. É o padroeiro da Calheta, da paróquia do Espírito Santo, no Porto Santo e um dos dois oragos do Caniço (o outro é Santo Antão).

Na freguesia de Câmara de Lobos há a capela do Espírito Santo que se julga ter sido erigida por João Gonçalves Zarco e cedida em 1922, a título precário e gratuito, para exercício do culto público católico à Confraria da Ordem Terceira de São Francisco de Assis, da freguesia de Câmara de Lobos.

A festa do Espírito Santo também tem relevância nas paróquias da Camacha, Câmara de Lobos, Estreito de Câmara de Lobos, Garachico, Encarnação e Quinta Grande, Ribeira Brava, Serra de Águia, Machico, Paul do Mar e Conceição (na Ponta do Sol).

Este ano devido às restrições estas celebrações serão realizadas apenas a nível litúrgico.