Pobreza: é o maior desafio global a enfrentar

D.R.

O maior desafio 

1. António Guterres, secretário geral da ONU, afirmou que a pobreza é o maior desafio enfrentado pelo mundo atualmente.

Ele fez a declaração numa reunião com o G-77, em 15 de janeiro 2020. O grupo reúne as nações em desenvolvimento e conta com mais de 150 países.

O secretário-geral associou a reforma do sistema de desenvolvimento à agenda do G-77 de erradicar a pobreza.

Ele afirmou que a mudança que é preciso ocorrer para erradicação da pobreza, redução de emissões de CO2, criação de emprego e de igualdade de género não está decorrendo no ritmo necessário para se cumprir a Agenda 2030.

Ano Internacional para a Erradicação da Pobreza

2. O Ano Internacional para a Erradicação da Pobreza foi proclamado pela Assembleia Geral da ONU como sendo o de 1996.

A Resolução 47/196, de 22 de dezembro de 1992 instituíra o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza dentre as datas oficiais da ONU. 

Reconhecia a pobreza como um problema complexo e multidimensional, com origens na órbita interna como internacional, e sua erradicação em todos os países, especialmente nos em desenvolvimento, e como uma das prioridades da década de 1990.

Notava que os esforços feitos a níveis nacionais e internacionais precisavam ser ampliados para assegurar a erradicação da pobreza, em particular nas nações menos desenvolvidas como os países africanos e aqueles outros onde a pobreza se concentra.

Pobreza e desenvolvimento sustentável.

3. Em 2000, o mundo comprometeu-se em reduzir para metade o número de pessoas vivendo em extrema pobreza e alcançou ganhos notáveis. Até 2015, a pobreza havia sido reduzida significativamente.

No entanto, a erradicação da pobreza extrema continua a ser um desafio, com mais de 700 milhões de pessoas vivendo, globalmente, com menos de US$ 1,90 (PPP) por dia e mais da metade da população global vivendo com menos de US$ 8,00 por dia.

A erradicação da pobreza, em todas as suas formas, é o maior desafio global para atingirmos o desenvolvimento sustentável. 

Metas até 2030: erradicar a pobreza extrema para todas as pessoas em todos os lugares, atingir a cobertura dos pobres e vulneráveis, todos os homens e mulheres tenham direitos iguais aos recursos económicos e acesso aos serviços básicos, reduzir a vulnerabilidade frente a fenómenos extremos provocados por desastres económicos, sociais e ambientais, ajudar os países em desenvolvimento para que possam implementar programas para acabar com a pobreza em todas as dimensões.

Todos os pobres do mundo

4. O Papa Francisco disse, numa reflexão dedicada ao Pai-Nosso, que a oração cristã é comunitária e recorda as necessidades de “todos os pobres do mundo”.

“As necessidades mais elementares do homem – como a de ter comida para matar a fome – estão todas no plural. Na oração cristã ninguém pede o pão para si: pede-se para todos os pobres do mundo”, disse perante cerca de 7 mil pessoas reunidas no auditório Paulo VI.

Destacou que este diálogo com Deus “não é individualista”, mas é feito “desde e com a comunidade de irmãos e irmãs”.

“Quando reza, o cristão leva consigo as pessoas e as situações que vive, fazendo seus os sentimentos de Jesus, que sente compaixão por quantos se encontram no seu caminho. A vida do mundo, realçou o Papa, não fica “fora da porta” quando um cristão se fecha no seu quarto, a rezar, num momento de silêncio.

“A verdadeira oração realiza-se no segredo da consciência: é como o olhar de duas pessoas, o homem e Deus, quando se cruzam”, precisou. Está ausente a palavra “eu” na oração do Pai Nosso.