Movimento dos Focolares assinala centenário do nascimento de Chiara Lubich

Celebrações no Porto e em Braga recordam a sua «herança espalhada pelo mundo» 

D.R.

Na página do Movimento dos Focolares, em Portugal, afirma-se que Chiara Lubich foi uma “figura carismática do século XX”, valorizando o “seu pensamento e ação em prol da fraternidade e da paz”, que se celebram no centenário do seu nascimento.

Está é uma ocasião, não tanto para lembrá-la com nostalgia, mas para a encontrar hoje nos milhares de pessoas que se dedicam a um mundo mais unido e pacífico, nos movimentos económicos, políticos e culturais que nasceram da sua espiritualidade”, refere-se.

Em Portugal, o centenário do nascimento de Chiara Lubich é assinalado com uma celebração na Sé do Porto, presidida por D. Manuel Linda, bispo diocesano, às 19h00, a mesma hora em que é celebrada também uma Missa, na Basílica dos Congregados, em Braga, evocando a fundadora do Movimento dos Focolares.

Em novembro de 2019 concluiu-se a fase diocesana da causa canonização de Chiara Lubich, na Catedral de São Pedro, em Frascati, Itália.

O postulador da causa é o sacerdote português Silvestre Marques, o qual relata, em nota enviada à Agência ECCLESIA, que esta primeira fase recolheu 75 caixas de documentação, entregues à Congregação para as Causas dos Santos, na pessoa do seu prefeito, cardeal Angelo Becciu.

Em causa estão cerca de cinco anos de investigações e aprofundamento sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade.

Chiara Lubich, nascida Silvia Lubich (Trento, 22 de janeiro de 1920 — Rocca di Papa, 14 de março de 2008) foi a fundadora do Movimento dos Focolares, um movimento que tem como finalidade a construção de um mundo unido.

PR