Solenidade de Todos os Santos: D. Nuno presidiu a Eucaristia no Curral das Freiras 

D. Nuno Brás  assinalou sexta-feira, na Paróquia do Curral das Freiras, a solenidade litúrgica de Todos os Santos, valorizando aqueles que não procuram momentos efémeros de felicidade, aquela “da publicidade dos intervalos dos telejornais”, mas que são capazes “de olhar mais longe” e de “viver com Deus” e com a sua felicidade, a única “que dura para sempre”.

Esses, disse o prelado, são os santos. E “os santos são verdadeiramente felizes”, embora a nós nos pareça que eles “não tiveram assim uma vida muito divertida, muito boa, que passaram a vida a rezar”. Mas, na verdade, “ser santo não é nada disso”, frisou D. Nuno Brás que incentivou os mais novos, que participavam na Eucaristia, a “procurar no Google”, quem foi Carlo Acutis e a perceberem que, qualquer um deles pode, de facto, aspirar à santidade.

De resto, o próprio papa Francisco em idêntica celebração em Roma, destacou que os modelos de santidade que a Igreja Católica propõe aos fiéis “não são simplesmente símbolos, seres humanos distantes, inacessíveis”. 

São cada vez mais pessoas comuns. Aqueles que escolhem disse D. Nuno Brás, “ser felizes com Deus e com os outros” e assim alcançar a santidade.